sexta-feira, 30 de abril de 2010

Bolo Mata-fome



Quando eu era criança, a famosa Dona Gilda [minha avó, sempre citada aqui] fazia um bolo no meio da semana, pra comermos no café e talz, que ela chamava de Bolo Mata-fome. De vez em quando variava: bolo de chocolate, bolo de fubá, mas o mais comum era mesmo o Mata-fome, que era praticamente um bolo de baunilha. O nome era pra dizer que era bolo simples, básico, pra matar aquela fominha na hora errada.
Pois bem, ontem, na hora do jantar, eu estava com fome, com preguiça de estudar mais para a prova de hoje e com preguiça de fazer arroz. Então decidi fazer um bolinho só pra tomar com café, um Bolo Mata-fome.
A receita do da minha avó eu não sei, até porque era 'no olho' mesmo. O jeito foi inventar e fazer um bolo de sobras: sobras de chocolate em barra, sobras de aveia quase vencendo o prazo de validade e sobras de farinha de castanhas. Daí, pra encrementar, ao invés de fôrmas convencionais, usei dessas marmitex metálicas quadradinhas, que deram um certo charme pra massa trivial do bolo.
Resultado: o primeiro bolo foi devorado com café pela república ontem de noite. O segundo devoramos no café da manhã, e o terceiro veio comigo hoje pra faculdade, para os amigos! ;)


Bolo Mata-Fome [receita para 3 marmitex [embalagem metálica descartável] retangulares pequenas]

Ingredientes:
1 xícara de farinha de trigo bem cheia;
3/4 de xícara de açúcar refinado;
1/2 xícara de aveia em flocos;
3/4 de xícara de farinha de castanhas;
1 colher de sopa de fermento em pó;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/2 colher de chá de sal;
1 potinho de 200ml de iogurte natural;
3 ovos inteiros;
1/2 xícara de manteiga derretida;
1 colher de sopa de extrato de baunílha;
3/4 de xícara de chocolate meio-amargo picado;
Geléia de damasco [opcional].
Preparo:
Em uma tigela peneire farinha de trigo, açúcar, fermento, bicarbonato e sal. Junte a farinha de castanhas, a aveia em flocos e o chocolate. Em outra tigela bata com um fouet os 3 ovos, adicione a baunilha, a manteiga derretida e o iogurte. Misture os líquidos aos sólidos, distribua em 3 embalagens metálicas descartáveis [marmitex pequena] untadas e asse em forno 180 graus por 2o minutos ou até passar no teste do palito.
Com os bolos ainda quente, pincele a geléia de damasco por toda a superfície e deixe secar.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Mini-Crostatas de Framboesa e explicações

Olá people!
Quero me desculpar com todo mundo pelo mini-sumiço repentino, e por não ter participado da Postagem Coletiva Colorindo a Vida, ontem. É que estamos em fim de bimestre, então estou cheio de provas, entregas de trabalho, e talz. Mas mesmo assim achei um tempinho para domingo dar uma 'aulinha' de dicas sobre cupcakes e massa Frola, para a Flávia, uma leitora do blog aqui de São Carlos. Foi super bacana, e fizemos essa Apple Pie linda aí da foto de cima. E ontem a noite, com o vidro de geléia de framboesas que ganhei dela, fiz essas mini-crostatas, facinhas, rápidas e deliciosas! É quase uma Linzer Torte, mas a massa leva um toque pronunciado de chocolate. Não muito doce, são ótimas com um cafezinho!
Ah, antes da receita, tenho que dizer que estou atrasado em responder aos comentários, mas amanha a noite, no trabalho, boto isso em dia!
Um beijo pra td mundo, e aproveitem a receitinha relâmpago! :D


Crostata com Framboesas

Ingredientes:
1 e 1/2 xícaras de geléia de framboesas para rechear;

1 xícara de manteiga em temperatura ambiente;
1/2 xícara de açúcar;
3 gemas grandes;
1 colher de chá de canela em pó;
1 colher de chá de raspas de limão;
1/2 colher de chá de sal;
2 xícaras de farinha de trigo;
1 e 1/2 xícara de farinha de castanhas, ou avelãs;
250g de chocolate meio-amargo picado bem fininho [pode ser ralado em ralo grosso];
2 colheres de cacau em pó.

Preparo:
Bata a manteiga e o açúcar até ficar uma mistura leve e fofa. Acrescente gemas, canela, raspas de limão, sal e cacau, e bata até ficar lisa. Adicione a farinha de trigo e bata até a massa ficar uniforme. Dispense o fouet e com uma colher grande, misture adicionando a farinha de castanhas e o chocolate picado fino. Amasse com as mãos levemente.
Preaqueça o forno a 180 graus. Abra a massa sobre o fundo de 8 forminhas de tartelette [aquelas baixinhas] de 10cm de diâmetro. Recheie cada uma com colheradas da geléia de framboesas. Abra o restante da massa sobre uma superfície levemente enfarinhada e corte detalhes com um cortador de biscoitos pequeno. Arranje os cortes de massa sobre a geléia, formando uma flor, um qualquer desenho da sua preferência. Asse as crostatas por 30 minutos, ou até dourar ligeiramente.
Deixe esfriar, desenforme-as e polvilhe açúcar. Sirva morna ou fria, sem levar à geladeira.


quinta-feira, 22 de abril de 2010

Nhá Benta Cupcakes, da Martha Stewart





































Recentemente a Revista Veja fez uma reportagem sobre a variação da qualidade das Nhá Bentas oferecidas no mercado brasileiro [leia clicando aqui]. Curiosamente, o doce é tratado pelo nome dado pela empresa de chocolates Kopenhagen, e não pelo seu nome original, hoje politicamente incorreto, Tetas de Negra [a verdade é que essa história de politicamente correto procura pêlo em ovo].
Nossa diva Martha Stewart, em seu site, passa a receita de um cupcake com cobertura de Nhá Benta, chamado em inglês de Hi-Hat Cupcakes. Hi-Hat é o nome em inglês para o prato da bateria, sabe? Talvez o nome seja pelo formato da cobertura, mas é meio forçado...

Enfim, toda essa lenga-lenga é pra explicar do que chamar esse cupcake em português: resolvi me render ao nome fantasia e chamar de Nhá Benta Cupcakes mesmo, mas isso é o de menos. O importante é destacar a delícia que ficam esses bolinhos! Primeiro que o marshmallow é facinho de fazer e fica muuuuito mais gostoso que qualquer um comprado, juro! Segundo que é muito legal inverter o bolinho e mergulhar a cobertura no chocolate, de ponta cabeça, morrendo de medo dela se soltar e afundar [o que não aconteceu nenhuma vez!]. Terceiro que o conjunto todo fica uma coisa doidade boa: alguém já comeu aquele bombom gelado da Yopa, chamado Chomp? Então, o sabor lembra aquilo, só que ainda tem um bolinho embaixo, pra completar! Eu recomendo, a Martha recomenda, qualquer um que provar vai recomendar. Faça o teste e depois me conte ; )


Nhá Benta Cupcakes [traduzido daqui]

Ingredientes da massa: [eu fiz minha massa básica de cupcakes de chocolate, mas a Martha sugere essa]
80g de chocolate amargo picado;
1 xícara de farinha;
1/2 colher de chá de fermento em pó;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/4 da colher de chá de sal;
1/2 xícara de manteiga amolecida;
1 e 1/4 xícara de açúcar;
2 ovos;
1 colher de chá de extrato de baunilha;
1/2 xícara de creme de leite;
1/2 xícara de água.

Para o marshmallow:
1 e 3/4 xícaras de açúcar;
1/4 de xícara de água;
3 claras;
1/4 de colher de chá de cremor de tártaro;
1 colher de chá de extrato de baunilha;
1/2 colher de chá de essência de amêndoas.

Para a casquinha de chocolate:
350g de chocolate para cobertura meio-amargo picado [tem que ser chocolate para cobertura, pois o outro não forma casquinha crocante - escolha um de boa qualidade];
3 colheres de sopa de óleo de canola.

Prepare a massa:
Preaqueça o forno a 180 graus.
Derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas e deixe esfriar.
Em uma tigela misture farinha, fermento, bicarbonato e sal. Reserve.
Em outra tigela, bata com a batedeira a manteiga e o açúcar em velocidade média, até ficar leve e fofo. Mude a velocidade para baixa e acrescente o chocolate derretido. Mude a velocidade para média e adicione os ovos, um a um, batendo bem depois de cada adição. Adicione a baunilha e bata por mais 1 minuto, até ficar fofo e a mistura clarear. Misture o creme de leite. Em velocidade baixa adicione metade da mistura de farinha, batendo até incorporar. Adicione 1/2 xícara de água. Adicione o resto da mistura de farinha e bata até incorporar.
Distribua a massa em 12 forminhas para cupcakes e leve ao forno por 10 minutos [segundo a Martha].
Retire, dê uma achatada cuidadosamente nos topos [deve ficar mais retinho do que redondinho] e desenforme. Deixe esfriar completamente.

Prepare o marshmallow:
Em uma vasilha grande e resistente ao calor, misture açúcar, água, claras e o cremor de tártaro. Bata com a batedeira por 1 minuto, até espumar. Coloque a vasilha sobre uma panela com água quase fervento, em vogo baixo, e bata sem parar em velocidade alta, por 15 minutos, até formar picos bem firmes. Retire do fogo, adicione a baunilha e a essência e bata por mais uns 2, 3 minutos, até a mistura engrossar e ganhar textura de marshmallow.
Transfira o marshmallow para um saco de confeitar grande, com bico liso de abrtura de 1.5cm. faça uma espiral de 5cm de altura no topo de cada cupcake, deixando uma bordinha de meio centímetro nas laterais. Leve-os à geladeira enquanto prepara o chocolate.

Prepare o chocolate:
Em uma vasilha resistente ao calor, junte o chocolate e o óleo. Leve ao fogo, em banho-maria, sobre uma panela com água quente em fogo baixo, sem ferver [a vasilha deve tapar completamente a boca da panela, pois o vapor da água pode alterar a textura do cohocolate], até que derreta uniformemente. Transfira o chocolate para uma vasilha menor [uma xícara de medida é ideal para isso] e deixe esfriar por 15 minutos.
Agora vem a parte mais legal: pegue um cupcake e mergulhe-o, de ponta cabeça, dentro do potinho com o chocolate derretido, até cobrir todo o marshmallow. Levante, deixe escorrer o excesso, e reserve. Faça isso com todos os cupcakes. Deixe descansarem por 15 minutos em temperatura ambiente, e depois leve à geladeira por 30 minutos, e prontinho!

Imagina variar no marshmallow: coco, morango, maracujá... é sucesso garantido!  : D

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Postagem Vermelha: Maçã do Amor




































Vou contar uma historinha: eu não ia participar do post vermelho do Colorindo a Vida de hoje: tinha apenas ingredientes básicos em casa e sem grana total pra comprar frutas vermelhas ou algo assim. Até que ontem a noite, qdo fui me despedir da Andréia, ela me ofereceu uma maçã. Quase não peguei - a gente brinca que não se deve aceitar maçãs dos outros porque dá azar, vide Adão e Eva e a pobre da Branca de Neve - mas peguei. E no caminho pra casa a idéia apareceu do nada: maçã do amor! Tem coisa mais vermelha que isso?!
Deu um certo medo porque nunca tinha feito, e achava que o ponto da calda era daqueles segredos de confraria, sabe? Mas qual não foi minha surpresa hoje, ao preparar minha única maçã do amor, e ver o qual fácil é! O ponto da calda tem uma dica infalível: mergulhe uma colher na calda e depois em um copo d'água: se ouvir barulho de 'trincar', está pronto!
Ah, fiz apenas uma maçã, mas a receita que deixo aqui dá pra quatro, ok?

Beijo, e bom dia vermelho! O meu começou lindamente, com essa maçã tentadora!




































Maçã do Amor

Ingredientes:
4 maçãs pequenas ou médias, de preferência das azedinhas;
Palitos resistentes;
1/2 xícara de água;
1 e 1/2 xícara de açúcar refinado;
4 colheres de sopa de glucose de milho [vi receitas sem, mas a glucose é responsável pelo brilho lindo!];
1/4 de xícara de corante vermelho, ou o quanto você quiser [usei em gel];
1/2 colher de café de vinagre [responsável por não deixar melar a maçã depois de pronta, pode ser substituído por cremor de tártaro - mais fácil vinagre, né?].

Preparo: lave muito bem e seque melhor ainda as maçãs. Retire o talo de cada uma, e espete o palito no buraquinho do talo. Certifique que esteja firme. Unte um prato com manteiga e reserve.
Em uma panela pequena, de fundo grosso, misture bem a água, açúcar, vinagre, glucose e o corante. Leve ao fogo médio, sem mexer nunca maais! Deixe ferver por quase 15 minutos, e faça o teste: molhe a colher na calda, e mergulhe no copo com água: deverá estalar como se estivesse quebrando.
Retire do fogo, tombe a panela e passe as maçãs na calda, lentamente para evitar bolhas  até cobrir a maçã toda. Escorra o excesso e coloque as maçãs no prato untado.
Espere vitrificar e pronto!
Ah, as maçãs devem ser feitas no dia do consumo! E cuidado com a calda.. a temperatura dela é de 150 graus, então já viu, né? Queima de abrir buraco...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O Chá dos Loucos e o brindezinho


Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton, estréia na próxima quarta, 21 de Abril. Apesar de já ter visto o filme, estarei, certamente, na fila do cinema pra conferir na emoção da telona. Fã de Tim Burton e das histórias de Alice, por Lewis Carroll, eu não poderia deixar de fazer um post a esse respeito.
O Chá dos Loucos é o capítulo em que Alice 'toma chá' com o Chapeleiro Maluco e com a Lebre de Março, em meio de xícaras quebradas, scones voadores e ratos em chaleiras.
Scones, como até o Chapeleiro sabia, é acompanhamento perfeito para um chá quentinho. De origem escocesa e conhecido também por Biscuit, existe uma variedade enorme de receitas, sabores e formatos, difundidos principalmente nos países de língua inglesa.
A versão que eu apresento aqui é um scone doce [há também os salgados], que leva chocolate picado e açúcar com canela. Sua textura lembra um biscoito, mas é muito mais úmido e derrete na boca. Só não gosta quem é louco.. louco como uma Lebre de Março ; )


Scones de Chocolate Picado [receita adaptada daqui]

Ingredientes:
2 xícaras de farinha;
1/4 de xícara de açúcar granulado [usei refinado];
1 e 1/4 colher de chá de fermento em pó;
1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/4 de colher de chá de sal;
1/2 xícara de manteiga gelada picada;
1/2 xícara de chocolate meio amargo picado;
1/2 xícara de cerejas secas [como eu não tinha, usei 1 xícara de chocolate picado ao todo];
1 colher de chá de extrato de baunilha;
2/3 de xícara de buttermilk [usei iogurte natural integral].

Cobertura:
1 colher de leite;
1 ovo;

2 colheres de sopa de açúcar refinado;
1/2 colher de chá de canela em pó.
Açúcar de confeiteiro para polvilhar.

Preparo:
Preaqueça o forno a 200 graus.
Misture farinha, açúcar, fermento, bicarbonato e sal em uma tigela. Junte a manteiga picada, e misture com as pontas dos dedos até formar uma farofa.
Em outra tigela, misture a baunilha e o buttermilk. Adicione essa mistura à de farinhas. Mexa levemente até homogeneizar. Sove a massa levemente, sobre uma superfície enfarinhada.
Abra a massa em um círculo de 18cm sobre o fundo untado e enfarinhado de uma assadeira de pizza, e corte em 8 fatias, como uma pizza mesmo. Se preferir, o que foi o meu caso, abra a massa dentro de aros cilíndricos de 8cm de diâmentro, e retire-os após dar o formato.
Misture o leite e o ovo e pincele sobre os scones, generosamente. Polvilhe com o açúcar misturado com a canela, e leve ao forno por 20 minutos, ou até passar pelo teste do palito. Retire, polvilhe com o açúcar de confeiteiro, suba o forno na temperatura máxima e volte os scones para o forno, rapidamente, até o açúcar dourar e começar a derreter [o ideal para isso é ter no forno a função 'dourador']. Se preferir, você pode só polvilhar os scones com o açúcar mesmo.
Deixe-os esfriar sobre uma grade e coma-os acompanhado de uma boa xícara de chá quente. É irresistível, como os filmes do Tim Burton.


Voltando ao Tim Burton, desenvolvi esses wallpapers misturando o bule d'A Cozinha Coletiva com o mundo de Alice e estou disponibilizando pra vocês aqui! É só escolher a cor, abrir a imagem em outra janela [ela vai aparecer grande], clicar com o botão direito do mouse sobre ela, salvar no seu computador e usar como papel de parede do desktop! É uma forma de agradecer aos quase 100 seguidores aqui, da Cozinha Coletiva, em apenas 3 meses de existência. Muito obrigado e aproveitem o filme, os scones e os wallpapers! Escolha o seu aí embaixo:





Ah, e me desculpem pela demora pra postar essa semana. Foi devido às tentativas frustradas, ou quase-frustradas, de preparar macaroons.. mas isso é assunto pra outra postagem. :D

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Postagem Azul: Carvão de Açúcar

Olás pessoas!
Continuando a blogagem coletiva Colorindo a Vida, o tema desta segunda feira é o azul. Ora, o Cozinha Coletiva é um foodblog, então desde o início da idéia da Glorinha eu tinha pensado em fazer receitas com as cores-tema. Dessa vez o negócio complicou, porque comida azul não tem, né? Aliás, não dá muita vontade de comer seja lá o que for azul, né? Então resolvi exagerar: já que tem que ser azul, vai ser azul e muuuito estranho! E resolvi tentar esse doce, mais como curiosidade do que como indicação de receita.
O Carvão de Açúcar, ou Carbón Dulce, é um presente natalino típico na Espanha. A história, segundo a wikipedia, é a seguinte: Carbonilla era um dos pajens dos Reis Magos, responsável por vigiar o comportamento das crianças o ano todo. Se fossem boazinhas, os Reis deixavam um presente no dia 6 de janeiro [dia de reis]. Se não, o Carbonilla deixava um toco de carvão.
Com o tempo a personagem Carbonilla desaparece, e os Reis são substituidos por Papai Noel, mas a essência se mantém: Criança mal-comportada não ganha presente, ganha carvão. Carvão de açúcar, porque ninguém é tão mal assim, né? ; )
Quando criado, o carvão de açúcar era tingido com fumo. Claro que isso foi trocado por corante, com o tempo.
A receita original leva apenas corante alimentício negro. Como o post de hoje é Azul, coloquei também corante azul aniz, então meus carvõezinhos ficaram parecendo pedras lunares.
Segue a receita, retirada e levemente adaptada daqui:

Carvão de Açúcar [fiz meia receita 2 vezes, só acertei o ponto na segunda vez]

Glacé Real: misture 1 clara, 5 gotas de suco de limão e 200g de açúcar impalpável, até que passando uma colher pela mistura, essa deixe o caminho marcado. Se precisar, vá adicionando mais açúcar. Eu adicionei mais umas 3 colheres. Coloque o corante na cor e na quantidade desejada... mas não exagera.

Ingredientes:
70g de glacé real;
Corante alimentício negro o quanto bastar [usei negro e azul aniz, em gel];
700g de açúcar;
230g de água.

Preparo:
Cubra uma fôrma pequena com papel manteiga bem untado.
Misture o açúcar e a água em uma panela grande. O volume da mistura deve ser menos da metade da panela. Leve ao fogo, e deixe ferver até o ponto de bala dura: pingando um pouco da calda num potinho com água, você deve conseguir moldar uma bolinha resistente com ela. Se tiver termômetro culinário, ele deverá marcar 128 graus.
Apague o fogo, e adicione a glacé real. Mexa com movimentos circulares até que suba uma espuma branca. Continue mexendo até a espuma subir outra vez, então derrame RAPIDAMENTE sobre a fôrma [se não for rápido, a calda começa a endurecer e perde a porosidade.
Deixe esfriar e quebre os pedaços.

Então, o gosto é de açúcar... O legal da receita é a história e a tradição que ela traz, mas o gosto não tem nada de mais, não.
Bom, fica essa curiosidade gastronômica como postagem azul, espero que gostem! :D


sexta-feira, 9 de abril de 2010

Mini-bolos de Capuccino


A semana começou bem, comigo crente que na quarta receberia meu primeiro salário do meu novo trabalho. Chegou quarta e não recebi. Quinta, e nada. A decepção gerou um certo mal humor daqueles que roubam nossa vontade de fazer qualquer coisa. Estourando de raiva, e sem ter pra quem reclamar, criei um Twitter. Se os fis justificam os meios não sei, mas o twitter virou o twitter oficial da Cozinha Coletiva, então clique aqui e siga-me! :D É uma ferramenta bem legal e dinâmica pra ficarmos mais próximos na hora de trocar receitas. Ah, e antes que eu me esqueça, obrigado a todo mundo que comenta aqui no blog, vocês  não sabem o quanto me deixam feliz! Estou atrasado pra responder pra vocês, mas hoje e amanhã coloco isso em dia, me desculpem, please. Lembrando que as respostas vão no final da página de comentários, ok? Um beijão e obrigado pelas visitas! ; )
Minha amiga pediu pra eu fazer um doce pra ela, e optei por bolinhos extra-macios de chocolate, café e canela, recheados com chantilly adoçado com um pouco de leite condensado. Delicioso pra hora do café! E foi nossa sobremesa deliciosa hoje.


Mini-bolos e cupcakes de Capuccino [fiz uma receita, deu 5 cupcakes mais 6 forminhas para pão-de-mel de 5cm de diâmetro, para os mini-bolos]

Ingredientes: 
1 xícara de farinha de trigo;
1/2 xícara de açúcar;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1 e 1/2 colher de chá fermento em pó;
1/2 xícara de chocolate em pó 50% cacau;
2 colheres de chá de café em pó instantâneo forte [se quiser o sabor de café mais pronunciado, coloque 3 colheres];
1/2 colher de chá de canela em pó;
2 ovos;
1 pote de iogurte natural integral;
1/3 de xícara de óleo;
1/2 colher de sopa de vodca;
1/2 colher de sopa de extrato de baunilha.

Preparo: Penere os sólidos em uma tigela. Em outra, bata os ovos levemente, e junte os demais ingredientes líquidos. Adicione a mistura de líquidos na de sólidos, misture rapidamente e divida entre as forminhas [as de muffin com forminha de papel e as de pão-de-mel untadas e com papel manteiga no fundo, untado também.
Leve ao forno médio, 180 graus, por 20 minutos.

Recheio de chantilly: Bata 200ml de mistura líquida pronta*, e gelada, para chantilly. Quando firmar, vá adicionando, com a batedeira ligada, 150ml de leite condensado [pouco mais de 1/4 da lata]. Continue batendo até chegar em ponto de chantilly. Coloque  o creme em um saco de confeitar.

Montagem dos cupcakes: depois de frios, abra uma tampinha em cada bolinho, e 'cavouque' o buraco com uma colher pequena, até retirar o excesso de massa. Cuidado para não rachar as laterais. Recheie cada orifício com o creme de chantilly, utilizando o saco de confeitar com bico pitanga. Polvilhe cacau em pó.

Montagem dos mini-bolos: desenforme os mini-bolos e acerte a altura deles, cortando a parte de cima, que está redondinha, de ter crescido. Corte cada mini-bolo ao meio. Os mini-bolos serão de três camadas: coloque uma fatia de mini-bolo, cubra com o chantilly, coloque mais uma fatia, cubra com o chantilly e coloque a última fatia, decorando com pitangas de chantilly.

Leve pra gelar e prontinho! A massa é muito macia, muito mesmo. E o chantilly com leite condensado dá aquele fundinho de caramelo que a gente sente quando toma um capuccino.


* esse creme é feito de chantilly batido com leite condensado incorporado. A Mistura pronta para chantilly aceita a incorporação de líquidos facilmente, depois de batido. Já o chantilly de creme de leite fresco eu não sei, então na dúvida, use a mistura pronta.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Tocino del Cielo


Olás! O que acharam da cara nova da Cozinha Coletiva? Quando soube que eu estava trocando de layout, a Gabriela, minha colega de trabalho e amiga querida, fez esse banner para mim, não ficou lindo? : D

Bem, depois de fazer o merengue das tortinhas de cereja do Post Rosa, me encontrei com 5 gemas dando sopa na geladeira [a receita pedia 4 claras, mas na hora de separar joguei uma fora sem querer, então fiquei com 5 gemas]. Depois dos Papos de Anjo da semana passada, perdi o medo dos doces de ovos, então lá fui eu procurar um pra fazer com as minhas gemas que sobraram.
Acho que todo mundo já ouviu falar de Toucinho do Céu, um doce português de ovos e amêndoas, né? E todo mundo conhece o nosso Quindim, né? Pois então, descobri que Tocino del Cielo é um doce típico espanhol, que não tem quase nada a ver com o doce homônimo português, e tem muito a ver com o Quindim! Ele tem nada menos que 700 anos[wow!], e foi criada por freiras de Jerez de la Frontera, uma cidade do sul da Espanha. A receita é facílima, adaptada desse blog maravilhoso, que eu recomendo a todo mundo. Eu fiz a receita pela metade, mas passo aqui ela completa:


Tocino del Cielo

Ingredientes:
12 gemas;
300g de açúcar;
250ml de água;
glucose de milho para untar as forminhas [opcional].

Preparo:
Ferva a água e o açúcar por 5 minutos. Bata as gemas com um fouet e vá derramando a calda em fio, sem parar de bater. Coe a mistura e preencha as forminhas* untadas**. Cubra-as bem com papel alumínio e asse em banho-maria por cerca de 30 minutos, ou faça o teste: enfie uma agulha no doce - ela deverá sair limpa.

*segundo o blog, a receita rende 28 forminhas de 4cm de diâmetro. Eu fiz meia receita e consegui 3 forminhas de bombocado 7cm de diâmetro.

**ainda segundo o blog, você pode untar as forminhas derramando porções o suficiente para untar da calda utilizada na receita e escorrendo [utilizando o resto da calda como a receita pede] ou fazer um caramelo como para Pudim de Leite, resultando num doce caramelizado. Eu untei as forminhas com glucose de milho, que dá um acabamento perfeito, além de não secar o doce quando esse fica na geladeira. você pode fazer isso da seguinte forma: aqueça a forminha levemente sobre a chama do fogão e unte com a glucose. A forminha aquecida vai fazer com que a glucose se espalhe mais fácil e uniformemente.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Postagem Rosa: Tortinhas de Cereja


Olás olás!
Correria total aqui. Eu tinha quase desistido da postagem colorida de hoje, mas quando fui fazer Tortinhas de Limão pra vender amanhã aproveitei e fiz algumas de cerejas, que foi o mais próximo do rosa que encontrei à mão. E o resultado foi impressionante: deliciosas, e combinam demais com o suspiro!
Então, o post rosa do Colorindo a Vida de hoje é esse, espero que vocês gostem e desculpe o atraso!


Ingredientes da massa:
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo;
1/4 de xícara de açúcar;
1/2 xícara caprichada de margarina 80% de lipídios gelada em pedacinhos;
raspas de meio limão;
1 gema.

Preparo da massa: misture farinha, açúcar e as raspas. Adicione a margarina picada e misture com as pontas dos dedos até virar farofa. Adicione a gema, amasse levemente e deixe na geladeira por 15 minutos.
Forre 11 forminhas untadas, daquelas de empada, de 7cm de diâmetro, com a massa gelada. Faça furos com um garfo, reserve na geladeira por mais 15 minutos.
Cubra as forminhas com 2 folhas de papel alumíno cada, pressionando sobre a massa. Asse em forno 180 graus por 20 minutos. Retire o papel alumínio e deixe mais uns 8 minutos para dourar levemente. Retire e deixe esfriar.

Ingredientes do recheio:
1/2  xícara de açúcar;
2 colheres de café de maisena;
2 colheres de café de suco de laranja;
1 colher de café de raspas de laranja;
1/2 colher de café de canela;
1 pitada de sal;
3 xícaras de cerejas em calda;
3/4 de xícara de água.
Preparo do recheio: misture todos os ingredientes e leve ao fogo baixo, mexendo até a mistura ficar cremosa, como geléia. É rapidinho, 10 minutos.

Cobertura de Merengue: Bata 4 claras até o ponto de neve fraco. Com a batedeira ligada, adicione, uma a uma, 10 colheres de sopa de açucar. Continue batendo por uns 6 minutos. Desligue a batedeira e coloque o merengue em um saco de confeitar.

Montagem: assim que estiverem frias, desenforme as massas de torta. Arrume-as sobre uma assadeira grande, recheie cada uma com as cerejas e cubra com o merengue. Leve ao forno preaquecido a 200 graus, bem quente, e fique de olho, até o merengue dourar levemente.

Sirva morna ou fria ; )

sábado, 3 de abril de 2010

Feliz Páscoa com Bacalhoada!



Desde que eu me conheço por gente minha família faz bacalhoada na Páscoa ou na sexta-feira santa. É provavelmente a única ocasião em que entra bacalhau em casa, e é sempre, sempre mesmo, a mesma receita. Todo mundo fica esperando, ansiosamente, pelo prato, que é nossa maior [e talvez única] tradição culinária. Quem prepara é minha vó Gilda, já conhecida de quem acompanha o blog. Ela ensinou minha mãe, mas o da minha mãe não fica igual. E ontem ela me ensinou :D
A receita ela aprendeu com uma vizinha matrona italiana, quando tinha acabado de casar. Então dá pra ver que o negócio é antigo, já que vovó casou na década de 40. Eu nunca vi nenhuma receita de bacalhau como essa, e olha que sempre pergunto, nessa época do ano, como as pessoas costumam preparar seu bacalhau.

Ah, uma curiosidade: a receita original é feita sobre a chama do fogão, em uma caçarola baixa e com tampa, que fica sobre um utensílio que eu nem sei se existe mais, hoje: minha vó chama de Plá-Quente [?!], é como um segundo fundo de panela, que é colocado entre a chama e a panela, e segundo minha mãe, é como um banho-maria sem água. Mas pra simplificar fizemos no forno mesmo, que fica quase a mesma coisa.

Então, reparto essa receita de família com vocês, meus amigos e amigas de blog, com meus votos de uma Páscoa farta e doce! Páscoa é sinônimo de que nada é impossível, não vamos esquecer disso! [wow, baixou o padre em mim, né?! :P]

A receita:


Ingredientes: [serve 5 pessoas]
800g de bacalhau salgado, de boa qualidade;
4 cebolas médias fatiadas;
2 pimentões grandes fatiados;
5 batatas grandes;
4 ovos;
Azeitonas pretas [usamos verde porque meu avô tem pressão alta]
Farinha de trigo, quanto bastar;
1 copo grande de leite;
Azeite de oliva, quanto bastar.
Sal a gosto.

Preparo: Deixe o bacalhau de molho de véspera, dando duas ou três lavadas e trocas de água.
No dia, lave o bacalhau, pique em pedaços grandes e leve pra ferver com as batatas descascadas e os ovos inteiros, numa panela grande cheia de água. Quando a batata estiver quase cozida, retire-as e fatie em fatias de 1 cm de espessura. Espete o bacalhau com um garfo para saber se está cozido, demora uma meia hora.
Retire do fogo, escorra a água e reserve os ovos. Deixe o bacalhau esfriar.
Enquanto isso, em uma frigideira aqueça um bom tanto de azeite e cozinhe, em fogo baixo e mexendo sempre, as cebolas até dourarem levemente e murcharem. Tempere com uma pitada de sal. Reserve até esfriar.
Em outra frigideira faça o mesmo com os pimentões: cozinhe no azeite, em fogo baixo, até amolecerem e pegarem uma corzinha. Tempere com uma pitada de sal. Reserve até esfriar.

Montagem: em uma assadeira média coloque 1/3 da cebola e 1/3 do pimentão, forrando o fundo. Coloque metade das batatas fatiadas, e metade do bacalhau, o qual você vai debulhando com os dedos, para retirar as espinhas. O bacalhau fica quase desfiado – picados em pequenos pedaços sem espinhas. Coloque mais cebola e pimentão por cima, azeitonas e fatias dos ovos cozidos. Salpique tudo com umas 2 colheres de sopa de farinha e regue com azeite. Repita a camada de batatas e bacalhau. Por cima termine com o último 1/3 das cebolas e pimentões, mais azeitonas e mais fatias de ovo cozido. Salpique mais 2 colheres de sopa de farinha de trigo por cima. Espalhe o leite às colheradas, por cima de tudo, e regue com mais azeite.
Cubra com papel alumínio com folga, para não grudar, e leve ao forno 180 graus por mais ou menos 40min. Retire o papel e verifique com a colher: no fundo deve ter formado um pouco de creme que solta do fundo da assadeira. E é só, tá pronto! :D



Ahh, surpresa de Páscoa: to tentando mundar o layout do blog, e fiz algumas imagens. A idéia é que o banner do título do blog troque de foto periodicamente. Por favooor, me ajudam: qual deve começar? Escolhe aí em baixo e me avisem, please.... qualquer opinião é bem vinda! ; )






quinta-feira, 1 de abril de 2010

Crumble Tartelettes


Estou empolgado com o desafio de toda segunda feira um post com uma cor tema, e admirado com a repercussão que isso causou no blog! Coincidência ou não, o post passado conseguiu, até agora, 34 comentários! Fato mais do que inédito por aqui, e que significa que o meu esforço de fazer um blog divertido está rendendo resultados, por isso não posso deixar de mais uma vez agradecer a todos vocês, que dividem a bancada da Cozinha Coletiva comigo : D

Sobre a receita de hoje, é um misto de crumble [que é aquele doce feito com frutas e farofinha crocante por cima] com pequenas pot pies [aquelas tortinhas dentro do potinho]. O resultado são tartelettes mornas de sabor intenso e textura crocante, deliciosas para aquelas tardes de folga, sabe? Então, lá vai:



Crumble Tartelettes

Massa: é uma massa básica de bolachas moídas: triture no liquidificador 200g de bolacha maizena até virar farinha. Junte 4 ou 5 colheres de sopa de manteiga e uma pitada de canela, amasse até ficar homogênio e distribua sobre o fundo e laterais de 6 forminhas de 8cm de diâmetro, ou ramequins, se vc os tiver. Cubra com 2 camadas de papel alumínio cada forminha e pressione-o contra a massa. Leve ao forno preaquecido a 180 graus por 10 minutinhos. Retire o papel alumínio e reserve. Não desligue o forno.

Recheio: [faça antes ou enquanto as massas estão no forno]
2 maçãs azedinhas descascadas e picadas em cubinhos;
2 peras picadas em cubinhos;
Suco de 1 limão;
Canela a gosto [capriche!];
1/4 de xícara de mel;
50ml de vinho do porto [usei Licor de Maçãs caseiro].

Junte todos os ingedientes em uma panela e cozinhe, mexendo de vez em quando, por cerca de 20 minutos.

Montagem: Esfarele totalmente uma das massas de tortinhas já assadas, com os dedos. Deve formar uma farofa grossa. Recheie as 5 tortinhas restantes com o doce de frutas, e cubra com a farofa da tortinha esmigalhada e nozes picadinhas. Volte ao forno quente por mais 15 minutos.
Retire do forno, polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva morna, acompanhada de creme de leite.