quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Torta Gelada de Morangos


Olá!
Um ano atrás eu estava doido, trabalhando com pasta americana, e percebi que precisava de ajuda. Assim nasceu esse blog. Desde então, e cada vez mais, vivo, pelo menos duas vezes por semana, na correria de achar uma receita, fazê-la [rezando pra dar certo] tirar umas 30 fotos [brigando com a câmera e com o carregador de pilha] até que duas ou três fiquem boas. E cheguei à conclusão de que isso é prazeroso e viciante!
Agradeço a todos que passam por aqui e espiam, comentam, testam, corrigem, elogiam, viram amigos. Uma fatia dessa torta é para cada um de vocês.

Torta Gelada de Morangos 
[ou Strawberry Icebox Pie]
[adaptada daqui]

Ingredientes para a massa:
200g de bolacha de chocolate;
2 colheres de sopa de farinha de amêndoas;
1/2 xícara [100g] de manteiga derretida.

Ingredientes para o recheio:
3 caixinhas de morangos picados [750g] [usei um pouco de cerejas frescas junto, mais ou menos 1/3];
3/4 de xícara de açúcar;
4 colheres de chá de amido de milho;
1 pitada de sal.
200ml de creme de leite fresco gelado + 2 colheres de sopa de açúcar.

Preparo da massa:
Triture as bolachas no liquidificador. Passe o farelo para uma tigela, adicione a farinha de amêndoas e a manteiga e misture até formar uma farofa úmida.
Forre o fundo e as laterais de uma fôrma para tortas de 22cm de diâmetro com essa farofa, apertando com as costas de uma colher.
Asse a 180 graus, em forno preaquecido, por 15 minutos.
Deixe esfriar completamente.

Preparo do recheio:
Em uma panelinha junte o açúcar, o amido e 1/3 dos morangos. Amasse com um garfo ou com um amassador de batatas. Leve ao fogo baixo, mexendo, até engrossar [mais ou menos 1 minutos após começar a ferver]. Deixe esfriar completamente.
Depois de frio, adicione o resto dos morangos fatiados, misture bem e recheie a massa de torta já assada.
Leve para gelar por pelo menos 4 horas, ou de um dia para o outro.

Bata o creme de leite com o açúcar em ponto de chantilly. Cubra a torta com o creme chantilly, deixando aparecer 2cm na borda, do recheio de morangos.
Mantenha gelada até a hora de servir.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Bolo de Damascos


Olás!
É época de natal e a parte boa disso é que os supermercados passam oferecer coisinhas especiais. Por aqui você encontra facilmente, nesta época, montanhas [literais] de frutos secos, creme de marrons, cerejas a preços mais baixos, figos, romãs, uvas pretinhas e damascos frescos. No meu penúltimo passeio ao supermercado vim pra casa com cerejas e damascos. As cerejas viraram torta [esta aqui] e os damascos foram ficando, sem eu decidir o que fazer com eles. Hoje, na iminência de passarem do ponto, em pouco mais de meia hora viraram um lindo bolo de ponta-cabeça!

 Bolo de Ponta-cabeça de Damasco Fresco
[retirado daqui]

Ingredientes:
8 damascos frescos, sem pele, cortados ao meio e sem o caroço;
Algumas cerejas frescas, sem semente [opcional];
3/4 da xícara [150g] de manteiga;
3/4 da xícara de açúcar mascavo [faz toda a diferença no sabor do caramelo, você vai ver];
1/2 xícara de açúcar branco;
3 ovos;
1 colher de chá de extrato de baunilha;
1 e 1/4 xícaras de farinha de trigo;
1 colher de chá de fermento em pó;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/4 da colher de chá de sal;
1/2 xícara de buttermilk [leite + gotinhas de limão, deixar descansar por 10 minutinhos].

Preparo:
Em uma panelinha em fogo baixo derreta 1/4 da manteiga e o açúcar mascavo juntos, até virar caramelo. Despeje esse caramelo no fundo de uma fôrma quadrada de 20x20cm. Sobre ele arrume os damascos em metades e entre eles as cerejas. Reserve.
Bata a 1/2 xícara restante de manteiga com o açúcar até virar um creme fofo. Continue batendo enquanto adiciona os ovos, um a um, e a baunilha. 
Adicione a farinha, fermento, bicarbonato e sal, misturando com uma colher. Por fim, o buttermilk.
Espalhe a massa sobre as frutas na fôrma e asse por 35 minutos em forno 180 graus preaquecido.
Vire o bolo, ainda quente, sobre um prato.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Torta de Iogurte e Mirtilos


Olá!
Com quase um ano d'A Cozinha Coletiva, a receita de hoje deixou minha cozinha nas cores do blog, tudo azul e branco!
Mesmo esse blog estando cheio de receitas de tortas [meu ponto fraco... ou forte, depende..rs], são poucas as tortas geladas aqui. Acho que uma das causas disso é meu preconceito com gelatina sem sabor, ingrediente presente em várias das tortas geladas. Eu explico: adoro o processo de alcançar o ponto de um creme - é mágico saber o momento em que pode-se apagar o fogo, ou parar de mexer. E quando a gente usa gelatina sem sabor isso não existe, né? Por mais líquido que seja, com gelatina o creme vai encorpar. 
Essa receita, porém, está alterando meu ponto de vista. Usei o tal pozinho - metade do que pedia a receita - e foi suficiente: um creme aveludado, não com aquela textura dura de gelatina, salpicado de bolinhas azuis. 
Super fácil [acho que foi a receita mais fácil de torta que já fiz], super refrescante e super bonita, né?
Espero que gostem!


Torta de Iogurte e Mirtilos
[retirada e levemente alterada do livro "500 Pies & Tarts"]

Ingredientes da massa:
1 pacote de 200g de bolacha maizena;
1/2 xícara de manteiga derretida;
1 colher de farinha de trigo.

Ingredientes do recheio:
1 envelope de gelatina sem sabor [usei meio];
3 colheres de sopa de água;
1 xícara de creme de leite fresco bem gelado;
2 xícaras de iogurte integral;
1/4 de xícara de açúcar;
2 xícaras de mirtilos [blueberries] frescos [mas pode ser cereja, morango, framboesa].

Você vai precisar de uma tigela cheia de água gelada e pedras de gelo, para fazer um "banho-maria gelado".

Preparo da massa:
Triture a bolacha no liquidificador e despeje em uma tigela. Adicione a manteiga e a farinha, e misture bem.
Distribua a massa no fundo e laterais de uma forma de tortas baixa, pressionando com as costas de uma colher.
Asse em forno 180 graus preaquecido por 15 minutos.
Deixe esfriar completamente.

Preparo do recheio:
Em uma panelinha misture a água e a gelatina. Deixe descansar por uns minutinhos, e então leve ao fogo por 3 ou 4 minutos, mexendo até dissolver completamente.
Em outra tigela, misture o iogurte e o açúcar. Reserve.
Bata o chantilly gelado, com a tigela dentro do "banho-maria gelado", e quando estiver formando picos adicione a gelatina dissolvida, e continue batendo. 
Adicione a mistura de iogurte aos poucos, enquanto bate. Formará um creme leve.
Desligue a batedeira, e adicione 1 xícara mais 3/4 de xícara de mirtilos, misturando delicadamente.
Cubra a massa da torta, já fria, com esse creme, e distribua o resto dos mirtilos por cima.
Deixe gelar por meia hora e sirva.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Ainda sobre Panettones


Calma, não vou postar mais uma receita gigantesca! hahaha

A verdade é que o post Panettones foi escrito de sopetão, e ficando tão longo, que esqueci de falar de coisas importantes!
_ A primeira delas é que acho super válido e super legal tentar fazer panettone em casa, uma vez na vida. A blogagem coletiva foi muito bacana por me convencer a tentar. A receita é difícil? Nem tanto, mas é demorada, e requer cuidados durante 24 horas de preparação. Confesso que xinguei a massa, que crescia dentro do forno, várias vezes, durante as horas de espera que pareciam intermináveis. Maaas, tirar seu panettone do forno quente, com a cozinha perfumada,  e ver que deu certo, compensou, viu? Até saí cantando músicas de Natal, depois disso... rs


_ A segunda coisa é: esses dias cheguei em casa e a vizinha veio entregar uma caixona que o correio tinha deixado! Imagina minha surpresa ao abrir e encontrar 1 panettone enorme [daqueles de 1kg] e 1 chocottone grandão [750g!], mais uma cartinha muito fofa da Bauducco, que me mandou as delícias!
Pra quem não sabe [e eu também não sabia], a Bauducco é responsável pela introdução dessa tradição italiana [o panettone] aqui no Brasil, desde 1948! E hoje é a maior produtora dessas delícias no mundo!
Se você quiser saber mais sobre as muitas linhas de panettones e chocottones para todos os gostos da Bauducco [e as latas lindas dos panettones deles], o site deles é muito bonito! [www.bauducco.com.br]. 
Eu só tenho a agradecer à Bauducco pelos gentis presentes recebidos, inclusive em nome da minha família: o panettone de frutas vai pra família do meu pai [mais tradicionais] e o chocottone pro lado da minha mãe [mais inovadores..hehe].

Bom, indistrializado ou caseiro, panettone é sabor e aroma de Natal. Então arranja um aí! ; )

Resultado Sorteio Mococa!

Olás, gente!

Esse post é para dizer que o resultado do último Sorteio Mococa de 2010 [feito através do site ramdom.org], pra ganhar o kit de produtos da vaquinha azul foi: [tchan tchan tchan tchaaan]


A sortuda da Gabi, número um!
A Gabi tem até a meia-noite de domingo, 19/12, para me responder o e-mail com seus dados completos, ou outro sorteio será realizado. Quanto mais rápido responder, mais rápido chega o kit! :D

Parabéns, Gabi, obrigado a todo mundo que participou, e feliz natal a todos! Em 2011 tem mais sorteio!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Panettones


Oi Gente!
Natal é uma época muito boa ou muito ruim. Isso porque sempre nos desperta lembranças, que podem ser boas ou ruins. Tem gente que adora, tem gente que odeia e tenta ignorar. Nos últimos anos tenho tentado ignorar.
Apesar disso, tenho lindas lembranças de Natal, e uma das mais bonitas delas tem a ver justamente com panettone: Quando eu tinha uns 11 ou 12 anos, meus pais eram donos de padaria. Na época do Natal, as vezes meu irmão e eu chegávamos lá, no finzinho da tarde, só para ver as duas mesas enormes lá de dentro cobertas de panettones gorduchos, que ficavam esfriando até o dia seguinte, quando seriam embalados. O aroma era maravilhoso, e bem antes de chegar na padaria já se podia sentir, mas ali dentro ele estava concentrado! Era cheiro de Natal.

Estou falando disso porque depois do post do Falso Chocotone Preguiçoso, começamos uma longa conversa coletiva no Twitter que acabou na seguinte proposta: cada blogueiro participante escolheria uma receita de panettone, testaria e postaria para os outros verem! Aliás, os blogs amigos participantes são: Apetite, Cinebistrot, a Clau Alaminos, Diga Maria, Mamma Foodie, Pé na Cozinha, Prato Fundo e ThinkFood

Minha idéia inicial era fazer junto com a minha mãe, a receita industrial que ela usa na padaria, mas descobri que mamãe agora está usando pré-mistura..rs.. então o jeito foi pesquisar!

Joguei no Google Itália [panettone – Itália - típico, sacou?rs] e acabei ficando com duas receitas, uma bem diferente da outra. A primeira delas foi um desastre total: pesada, não cresceu nada.

A segunda parecia mais promissora, inclusive por ter um vídeo do passo a passo, que eu coloco aqui para vocês. Essa receita, à moda da Lombardia, vem de um site chamado The Italian Taste, e é executada por uma italiana chamada Loretta. O mais legal dessa receita é que você não precisa de nenhum equipamento – é tudo no muque mesmo - além de não levar nenhum ingrediente fora do comum.
Bom, antes de irmos para a receita preciso dizer mais três coisas: gostei muito do resultado, pois estava com medo de obter um panettone com textura de pão de fôrma, mas consegui panettones “felpudos”, com aquela textura típica.
Apesar da textura legal, os indistrializados são realmente mais úmidos – mas o fato de nenhum produto como glicerina ser utilizado balanceia a situação.
E, por fim, é fundamental ter paciência, muita paciência. São 24 horas sem conseguir pensar em outra coisa, intervalos chatinhos de espera. Mas olha, abrir o forno, ser invadido pelo aroma natural [pois não leva essência] maravilhoso e ver q os panettones cresceram no formato ideal compensa todo o longo processo!


Panettone lombardo
[retirado daqui]

Ingredientes:
750g de farinha de trigo [mais o que você usará na mesa de trabalho, e é bom ter um pouquinho extra, nunca se sabe];
25g de fermento biológico fresco [usei 1 pacotinho do seco];
220g de manteiga;
4 ovos inteiros;
2 gemas extras;
200g de açúcar;
Raspas de 1 laranja;
Raspas de 1 limão;
3 gotas de extrato de baunilha;
80g de frutas cristalizadas [usei 100g];
100g de passas escuras [ usei 120g];
2 pitadas de sal;
350ml de água.

Cuidados especiais:
Durante todo o preparo sua cozinha deve estar com uma temperatura ambiente superior aos 20 graus [o que não é difícil no nosso natal tropical] e sem correntes de ar.
Os líquidos utilizados [água, manteiga derretida, calda de açúcar] são mornos, que é apenas “quebrar o gelo” – a temperatura deles deve sempre ser inferior a 20 graus.


Primeiro crescimento: [é legal realizar essa etapa de noitinha, pra crescer durante a noite].
Misture 150ml de água morna [não superior a 20 graus] e o fermento, em uma tigela média. Adicione 100g de farinha, e mexa com a ponta dos dedos, até ficar um massa líquida e lisa.
Banhe um tecido limpo de algodão em água quente, torça bem, envolva a tigela com esse pano e deixe crescer por 12 horas, em local quente e abafado – dentro do forno desligado é uma ótima!

Segundo crescimento: Depois de 12 horas, ou no dia seguinte, adicionar de 120g a 150g de farinha à massa fermentada – a quantidade de farinha deve ser suficiente para se conseguir retirar a massa da tigela e amassá-la na bancada, por alguns minutos.
Depois disso, volte a massa para uma tigela enfarinhada, cubra com um tecido banhado novamente em água quente e torcido, e deixe crescer novamente em local quente e abafado por mais 5 ou 6 horas. O ideal é que o volume duplique ou triplique – quanto mais crescer, mais macio ficará o panettone.
Para o terceiro crescimento é muito recomendável que você veja o vídeo simpático da Loretta:


Terceiro crescimento: 1 hora antes do fim do segundo crescimento, é preciso começar a preparar os ingredientes para a próxima:
Em uma panela, dissolva o açúcar em 200ml de água e leve ao fogo, em banho-maria, por 45 minutos, até conseguir um xarope claro e levemente grosso, que tenha reduzido bastante seu volume inicial.
Quando a calda amornar, vá adicionando os ovos, um a um, e as gemas, batendo com um fouet. Adicione as raspas e a baunilha e misture. Reserve.
Derreta a manteiga em banho-maria, também, deixe amornar e reserve.
Mergulhe as passas em água quente e deixe por 20 minutos. Escorra a água, junte as frutas cristalizadas e polvilhe com farinha, mexendo até as frutas ficarem bem enfarinhadas. Reserve.
Unte levemente 2 fôrmas de papel para panettone com capacidade para 500g cada. Reserve.

Misture 400g de farinha com o sal, e despeje na mesa de trabalho, formando um círculo grandão com um buraco grandão no meio [ver vídeo].
Jogue a massa que resultou da segunda fermentação no meio desse círculo, e vá derramando a manteiga derretida morna [menos de 20 graus] e misturando com as mãos, para incorporar – é um processo lento, tenha paciência.
Depois de incorporar a manteiga é a vez da calda de açúcar batida com os ovos. Vá derramando aos poucos e incorporando, sempre dentro dos limites do círculo de farinha – você pode incorporar bocados dessa farinha aos poucos, também, conforme necessário.
Depois de incorporada a calda, você pode ir incorporando a farinha das beiradas aos poucos. A massa deverá ficar mole e grudenta [mole mesmo, esticando – veja no vídeo], porém compacta, não líquida, então pode ser necessário adicionar mais farinha – cerca de mais 100g, mas varia. Sove a massa por alguns minutos – uma espátula é fundamental para trabalhar a massa, desgrudando da mesa de trabalho. NÃO fique adicionando farinha, ou enfarinhando a mesa – a massa deve permanecer mole – quanto mais mole e elástica melhor a textura do pão. Se necessário, unte as mãos e a bancada com pouco óleo.
Adicione as frutas, trabalhando a massa mais um pouco – é rápido, não é uma sova como as de massa pesada.
Com a ajuda da espátula divida a massa e coloque nas fôrmas preparadas – devem ocupar entre 1/3 e ½ da fôrma de papel. Coloque as fôrmas na assadeira [deixe as prontas, do jeito que irão pro forno] e deixe crescer em local abafado e quente. O último crescimento dura de 3 e ½ horas até 6 horas. Aqui demorou 4 horas e meia para alcançar o ponto de assar – a massa aproximadamente um dedo acima da borda da fôrma.
Leve os panettones com cuidado [a massa é mole e delicada] ao forno preaquecido a 180 graus, na grade do meio [veja bem no seu forno, pois o panettone ainda vai crescer lá dentro, então calcule a altura antes]. Depois de 20 a 25 minutos diminua o fogo para 160 graus. Asse por mais 20 minutos. Depois disso, verifique o ponto com um palito de madeira comprido, enfiando-o no panettone – ele deverá sair completamente limpo.
A Loretta aconselha a deixar os panettones esfriarem dentro do forno mesmo, com a porta entreaberta.

Dicas importantes:
É muito mais garantido fazer panettones em fôrmas pequenas, como as de 500g, do que em grandes, como as de 1kg. Os fornos domésticos não assam bem um panettone grande, que ficaria queimado por fora e cru por dentro;
A Loretta indica que os panettones somente sejam cortados no dia seguinte, e conservados em sacos plásticos fechados – ressecam facilmente!
Outra coisa: as raspas e a baunilha eu coloquei por minha conta, mas é fundamental para o aroma e sabor característicos do pão, então não se esqueça delas!
É possível congelar o panettone já pronto, em fatias – descongeladas em temperatura ambiente e levadas ao forno baixo por uns minutinhos.
A última coisa – a quantidade de açúcar da receita é menor que a dos panettones a que estamos acostumados, mas não vi problema nisso.


sábado, 11 de dezembro de 2010

Muffins Dourados



Bom dia, pessoas!
O post desse sabadão deveria ser um lindo, fofo e felpudo panettone. Infelizmente, a porcaria do o panettone não cresceu nada, então volto eu para a cozinha, em uma segunda [e última, porque não vou ficar comprando frutas secas um dia sim, um dia não!] tentativa. Deixo para vocês essa receita fácil, que não tem erro, e que fica deliciosa!
Me desejem paciência e sorte com o panettone, please!
Ah, e bom sábado! : )

Muffins Dourados de Maçã

Ingredientes:
1 e 3/4 xícaras de farinha de trigo;
3/4 da xícara de açúcar mascavo;
1 colher de chá de fermento em pó;
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/2 colher de chá de canela em pó;
1/4 da colher de chá de sal;
1 ovo;
1/3 da xícara de óleo;
3/4 da xícara de iogurte;
1 maçã descascada picadinha;
1/2 xícara de passas escuras;
1/2 xícara de nozes em pedaços.

Preparo:
Peneire juntos a farinha, o fermento, o sal, o bicarbonato e a canela. Adicione o açúcar e misture. 
Em outra tigela, bata levemente o ovo, o iogurte e o óleo. 
Adicione a maçã picada, as passas e as nozes na farinha,  misture até ficarem enfarinhadas.
Adicione os líquidos, misture levemente e distribua a massa em 12 forminhas para muffins.
Asse em forno preaquecido, a 180 graus, por 30 minutos, até ficar dourado, e pronto!


PS: continuem participando do sorteio aí embaixo! ; )



quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Último Sorteio Mococa do ano!


Hello, amigos,
Estou aqui para anunciar mais um Sorteio do Super kit de produtos da Mococa! Nunca é demais lembrar que o kit é composto por:

1 lata de leite condensado, 1 caixinha de leite condensado, 1 creme de leite, 1 caixinha de molho branco, 1 lata de brigadeiro, 1 lata de beijinho, 1 lata de cajuzinho, 1 lata de doce de leite, 1 manteiga, 1 caixinha de farinha láctea, 1 caixinha de mingau de arroz, 1 caixinha de mingau de milho, 3 unidades de Mocoquinha e 1 achocolatado de 1 litro.




Então, quer um Natal mais doce? Participe aí!

Para participar as regrinhas são:
01. SER SEGUIDOR desse blog [é só clicar ali na barra lateral, em SEGUIR];
02. Deixar um comentário NESSE POST com NOME, E-MAIL e CIDADE [a falta de qualquer um desses dados excluirá o participante];
03. Só poderão participar seguidores com endereço de envio no Brasil;
04. Um e-mail será enviado para o ganhador no dia do sorteio, além do resultado ser postado aqui - então passe para conferir o resultado, para não acontecer de "não receber o e-mail dizendo que você ganhou".

É isso, facinho, né? E o kit vai te ajudar a preparar as sobremesas das festas que estão chegando!

O prazo para participar é a próxima TERÇA-FEIRA, dia 14 de dezembro. Na quarta cedinho divulgo o feliz ganhador, através de um sorteio no random.org.

Então sigam o blog, comentem e cruzem os dedos! ; )

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Cherry Pie


O Vinicius dizia que "as feias que me desculpem, mas beleza é fundamental". Eu diria "os bolos que me desculpem, mas tortas são fundamentais", como vocês já devem ter percebido.
Quando vi montes de cerejas no supermercado , bem no dia do pagamento, não tive dúvidas: era hora de provar a famosa Cherry Pie americana. Fiquei ainda mais inspirado vendo o finado seriado Pushing Daisies, e o "fazedor de tortas" fazendo montes delas!
O preparo da torta é bem básico - é mais ou menos o mesmo para todas as tortas americanas de fruta - uma casquinha neutra que derrete na boca e o recheio de frutas com açúcar e suco de limão - simples, né? Para dar um toque de frescura, ao invés da "tampa" de massa fiz um trançado. 
O sabor? Não parece em nada com cerejas em calda. É doce e azedinho, e morninha vai muuuito bem com sorvete! Lembra torta de mirtilos, só que mais saborosa!
Aproveite a época de cerejas e experimente esse prato típico americano!



Cherry Pie - Torta de Cerejas Frescas
[receita do livro "500 Pies & Tarts"]

A massa: use essa mesma receita daqui, de massa básica para tortas.

Ingredientes do recheio:
2/3 de xícara de açúcar granulado;
3 colheres de sopa de amido de milho;
Raspas de 1 limão, mais o suco de metade dele;
4 xícaras de cerejas frescas, descaroçadas.

Preparo:
Misture o açúcar, o amido, as raspas e o suco de limão. Coloque as cerejas em uma tigela média e adicione a mistura, mexendo gentilmente até as cerejas ficarem cobertas.
Abra metade da massa, com um rolo, e forre o fundo e as laterais de uma fôrma para tortas de 23cm de diâmetro. Reserve na geladeira por uns 10 minutos.
Retire a fôrma da geladeira, recheie com as cerejas e cubra com o trançado:
Abra a outra metade da massa e corte fatias de 2cm de largura e comprimento suficiente para atravessar a torta de lado a lado.  Serão 10 tiras: 5 em cada sentido. Coloque primeiro 5 no mesmo sentido e depois vá trançando as outras, uma de cada vez – ora por baixo, ora por cima. Aperte bem nas laterais.
Leve ao forno preaquecido a 200 graus por 20 minutos. Abaixe o forno para 180 graus e continue assando por mais 40 minutos, até o recheio borbulhar e a massa ficar bem dourada. Se necessário, cubra as bordas com papel alumínio, durante o tempo de forno, caso doure muito rápido.
Deixe esfriar por 1 hora.
Sirva morna ou em temperatura ambiente.