quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Panquecas, simples assim


Olás olás!
Eu já ensaiei várias vezes para postar receita de panquecas por aqui, mas acabava sempre desistindo, por achar muito simples, muito manjado, e talz... Mas a questão é que todo sábado eu me dou de presente um café da manhã caprichado [até porque de semana mal dá tempo de fazer um café solúvel] onde não pode faltar algumas dessas panquecas! Gosto tanto delas que na geladeira de casa, junto com as contas a serem pagas, fica pendurada a receita, para quem quiser fazer, não importa o horário! E sabe por que? Porque elas são muito macias! Sério, são fofas mesmo, e gorduchas! E não queimam, e não ficam cruas por dentro, e ficam incrivelmente leves e sequinhas e são muito, muito simples de se preparar. 
Então, no próximo sábado de manhã [ou outro dia qualquer da semana], levante da cama, prepare algumas, ainda de pijamas, prove [seja com manteiga, geléia, creme de avelã, mel, pedacinhos de chocolate na massa, ou apenas polvilhada com açúcar e canela - adoro assim!] e pense: "Bem que o Richie falou!". Certeza que você também vai pendurar a receita na sua geladeira!

Agora falando de novidade, sábado passado minhas panquecas foram acompanhadas de uma [uma é modo de falar, né?] colherada generosa do novo Creme Crocante, que a Ovomaltine me mandou [thank you so much!]. Super cremoso, fácil de espalhar, sabe? E delicioso! Periga de viciar..rs. 



Panquecas 
[essa medida dá para no máximo duas pessoas [é a que uso em casa], então você pode dobrar, triplicar, etc.]

Ingredientes:
1 xícara [120g] de farinha de trigo;
1 pitada generosa de sal [algo como 3/4 da colher de chá];
1 pitada generosa de açúcar refinado [algo como uma colher de chá];
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio;
1/2 colher de sopa de fermento em pó;
1 ovo pequeno [se usar ovo do grande, diminua um pouquinho o leite];
3/4 de xícara [180ml] de leite;
1 colher de sopa de manteiga.

Preparo:
Eu faço assim: Em uma frigideira antiaderente [é fundamental] leve a manteiga ao fogo, para derreter. Derreteu quase tudo? Desligue o fogo e reserve.
Em uma tigela misture os 5 ingredientes secos. Misture o ovo com o leite, e derrame sobre os ingredientes secos. Mexa rapidamente até desfazer quaisquer grânulos que se formem. Por fim, despeje a manteiga derretida, e mexa mais uma vez. A massa que se forma não é líquida, é cremosa, quase como de bolinho de chuva.
Passe um papel toalha pelo fundo da frigideira, para retirar o excesso de manteiga, e volte-a ao fogo baixo. 
Com uma concha média, derrame uma porção de massa - a quantidade pode ser menor, se quiser panquecas pequenas. A massa vai se assentar sozinha na frigideira. Quando bolhas começarem a se formar na superfície e a massa começar a inchar [demora uns 45 segundos, no meu fogão], vire a panqueca com uma espátula e deixe o outro lado dourar [mais uns 45 segundos]. Ela vai crescer em altura, enquanto doura o segundo lado.
Retire a panqueca com a espátula, e repita o procedimento. Essa receita rende 4 ou 5 panquecas médias.

Ah, tenho duas dicas legais:
A gente sempre vê fotos de panquecas empilhadas, mas o melhor é ir colocando uma ao lado da outra - assim a superfície não perde a leve crocância e as panquecas ficam sequinhas;
Outra dica [que me foi dada pela Maria, do DigaMaria!] é: se você for fazer uma quantidade maior, antes de começar o preparo deixe o forno preaquecendo por uns 10 minutinhos em temperaura baixa, e desligue. Na hora de fritar as panquecas, vá deixando as prontas dentro do forno aquecido, assim vão estar todas quentinhas na hora de comer!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Bakewell Tartelettes



Hallo people!
O post de hoje é mais uma dica do que uma receita. Se lembram da Bakewell Tart? Depois de ter feito a primeira vez, ela fez sucesso com as minhas "cobaias" daqui de casa e virou figura carimbada na nossa cozinha. Por isso, para receber a Dani e o Wlad, do Cinebistrot, que como eu disse no post anterior, passaram por aqui no final de semana passado, nada melhor que uma receita já familiar - melhor não fazer grandes testes nesses momentos, né? 
A diferença da vez foi que, ao invés de uma torta grande, fiz tartelettes individuais, em forminhas para pão de mel de 8cm de diâmetro [mesmo com medo de depois não conseguir desenformar as tortinhas, deu tudo certo, e se soltaram com facilidade]. Ficaram mais gostosas - pelo menos para mim, que gosto mais da massa do que do recheio - e bem simpáticas, né? Com cara de sobremesa metida a besta! hehe
As únicas alterações na receita original foram fazer o dobro de massa, para conseguir cobrir o fundo e as laterais de 12 forminhas, e polvilhar o creme com lascas de amêndoas, que cortei fininhas em casa mesmo, no improviso, antes de levar ao forno. E como eu tinha em casa três geléias diferentes [e caseiras, né?], usei as três para os recheios, mas você pode utilizar qualquer uma, desde que de boa qualidade.
A Dani e o Wlad aprovaram e ainda levaram algumas para casa! :)

A receita original você visualiza clicando aqui.



terça-feira, 16 de agosto de 2011

Geléia de Morangos e Hortelã



Olá, tudo bem?
Faz uns quatro anos que quando chega essa época eu compro um monte de morangos e faço uma panelada de geléia. Durante meses os vidros ficam na estante, se esvaziando aos poucos, até que chega o tempo das amoras e uma nova leva fica pronta, e depois as jabuticabas, e as cerejas, em janeiro.
Preparar geléia é um ritual. É a mágica de fazer com que uma fruta de estação se conserve por quase que o ano todo. É segredo de vó, é receita secreta. 
Por isso, quando a querida Dani, do cinebistrot, avisou que ia passar por aqui [trazendo brownies de laranja deliciosos e perfumados!], tratei de preparar alguns vidrinhos para ela levar e distribuir. A receita escolhida me foi dada pela também querida Mapi [obrigado, Mapi! Tem um vidrinho guardado pra vocês!], mãe da minha amiga Lygia, e vovó da Clarinha. O sabor do morango ganha uma novidade: um fundo de frescor dos ramos de hortelã que cozinham junto com as frutas. Muito bom!



Geléia de Morangos e Hortelã

Ingredientes:
4 caixinhas de morangos lavados e sem cabinhos [prefira os menores e mais vermelhos];
400g de açúcar refinado [pode-se colocar menos, conforme seu gosto];
Suco de 1/2 limão;
1 pitada de cardamomo em pó [opcional];
3 ramos bem lavados de hortelã fresca, com caule e tudo;
2 colheres de sopa de vodca.

Preparo:
Reserve um pires limpo no freezer.
Em uma panela grande, coloque os morangos inteiros [aqueles maiores corte na metade], os ramos de hortelã, o suco de limão, o cardamomo e o açúcar. Misture e leve ao fogo alto. Quando levantar fervura, abaixe o fogo e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando e retirando a espuma que se forma na superfície. Depois de mais ou menos meia hora, a espuma pára de se formar. Então adicione a vodca e faça o teste do pires gelado: pingue uma gota de geléia sobre ele e e tombe o pires: a gota não deve escorrer. Vá mexendo e testando até que alcance o ponto. Apague o fogo.
A Mapi diz que deixa os ramos de hortelã na geléia, ou retira os caules e deixa só as folhas. 
Distribua a geléia quente em vidros esterilizados, tampe e vire-os de ponta cabeça. Deixe assim até esfriar totalmente.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Bolo de Chocolate e Avelã


Olás!
A cozinha coletiva está procurando um novo morador. Pois é, nesse final de semana a Karen, nossa roomie especialista em Arepas, se mudou, e agora estamos recebendo candidatos à vaga que ela deixou. Hoje, um deles chegou bem no momento em que eu estava tirando esse bolo do forno, e  o aroma de chocolate que tomava conta da casa não passou despercebido, claro. Ele não pode provar, porque ainda estava quente, mas fiquei realmente tentado a incluir nos anúncios que, além do quarto, oferecemos duas novas sobremesas a cada semana. Será que isso ajuda a convencer?? Tá a fim de morar aqui? ;)

Sobre o bolo, ele é feito de chocolate meio amargo, avelãs moídas e ainda recebe uma cobertura de ganache. Não preciso falar mais nada, né? Pecado mortal, ele cura TPM, briga de namorados e inferno astral. Vai ser difícil apreciar com moderação!




Bolo de Chocolate e Avelã
[receita levemente adaptada daqui]

Ingredientes:
200g de chocolate amargo, ou meio amargo, de ótima qualidade [usei Callebaut], picado;
150g de manteiga em pedaços;
1/3 de xícara [35g] de cacau em pó;
1/3 de xícara [100ml] de água quente;
150g de açúcar refinado;
100g de açúcar mascavo;
150g de farinha de avelãs [você pode moer bem fino as avelãs em um processador, se não encontrar a farinha pronta];
4 gemas;
4 claras em neve.

Para a ganache:
100 gramas de chocolate amargo, ou meio amargo, de ótima qualidade [usei Callebaut], picado;
1/4 de xícara de creme de leite;
1 colher de sopa de Frangelico [licor de avelãs, opcional];

Avelãs inteiras, para decorar.

Preparo:
Unte e forre com papel manteiga untado o fundo e as laterais de uma fôrma de 22cm de diâmetro [usei uma de fundo falso, para facilitar].
Preaqueça o forno a 180 graus.
Em uma panelinha de fundo grosso, leve o chocolate e a manteiga ao fogo baixo, mexendo até tudo derreter e ficar homogêneo. Reserve.
Em uma tigela, misture bem o cacau e a água quente. Incorpore a mistura de chocolate e manteiga, os açucares, a farinha de avelãs e as gemas, mexendo bem.
Por fim, incorpore as claras batidas em neve, em duas adições, e misturando delicadamente.
Passe a massa para a fôrma preparada e leve ao forno por cerca de 45 minutos. Estará pronto quando por cima se formar uma casquinha, mas com o interior ainda úmido [faça o teste do palito: o palito deverá sair com algumas migalhas].
Retire do forno, deixe esfriar por 15 minutos e desenforme.
Não se assuste, o bolo abaixa depois de frio.

Preparo da ganache:
Aqueaça em fogo baixo o creme de leite, e adicione o chocolate, mexendo até derreter e homogeneizar, tomando cuidado para que a mistura não ferva. Retire do forno e acrescente o licor.

Derrame a ganache sobre o bolo, e decore com as avelãs.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Tortinhas de Creme Queimado


Hallo everybody!
O inverno voltou a se mostrar com chuviscos e dias brancos, daqueles que pedem uma reprise daquele filme tosco que a gente adora na televisão, com direito a cobertor e travesseiro. E claro, algum quitute confortante para beliscar entre uma soneca e um cochilo. Para isso, nada melhor que as tortas cremosas. Se as tortas de frutas frescas combinam com o verão, as cremosas caem como uma luva nesses dias preguiçosos.
A receita de hoje lembra muito os deliciosos Pastéis de Belém portugueses. Na verdade, a diferença é a massa, usei uma básica para tortas. Mas nada impede que você corra ao mercadinho da esquina, compre um pacote de massa folhada pronta e facilite o processo, fazendo seus próprios pasteizinhos de Belém. Ter uma massa para tortas reserva, congelada, também ajuda muito nessas horas de fome e frio. 
O preparo é muito simples, e apesar da receita pedir que as tortinhas gelem, antes de serem "bruleadas", dourei-as mornas mesmo, e ficaram deliciosas. 
Espero que elas confortem seus dias frios, como confortaram o meu :)



Tortinhas de Creme Queimado
[receita retirada do livro 500 Pies & Tarts]

Para a massa: usei o dobro da massa básica igual a essa aqui - você pode fazer menos, se preferir as casquinhas mais finas].

Para o recheio:
1/4 de xícara de açúcar;
5 gemas;
1 e 1/4 xícaras de creme de leite fresco, ou natas frescas;
1/2 xícara de leite integral;
1/2 fava de baunilha, ou 1 colher de chá de extrato de baunilha;
Açúcar mascavo claro para caramelizar.

Preparo da massa:
Preaqueça o forno a 180 graus.
Forre os fundos e laterais de 14 forminhas para muffins, ou para empadas grandes, com a massa. Reserve na geladeira.

Preparo do recheio:
Bata as gemas com o açúcar. Reserve.
Misture o leite e o creme de leite fresco, e leve ao fogo baixinho, controlando para aquecer até quase ferver. Desligue o fogo e despeje a mistura, através de uma peneira, sobre a gemada, misturando bem com um fouet. Adicione as sementes da fava de baunilha ou o extrato. Mexa até ficar homogêneo.
Distribua o recheio nas forminhas preparadas, e leve ao forno por 20 minutos, até dourar.
Retire, deixe esfriar e leve para gelar.
Depois de geladas, polvilhe as tortinhas com o açúcar mascavo e queime com um maçarico culinário. Caso você não tenha um, ignore essa etapa, fica igualmente gostoso sem queimar o açúcar.