quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Concurso Cultural Rubbermaid - o resultado!


Hello people!
Vim contar que terminou com super sucesso o Concurso Cultural “Rubbermaid organiza sua casa, sua cozinha e sua vida”! Os vencedores dos vales-compras de R$ 1.500,00 são – tchan tchan tchan tchaaaan - o blog Teretetê na Cozinha [que eu adorei conhecer!], da Teresa, com 213 votos válidos e a leitora d'a Cozinha Coletiva [!!!] Elaine Cristina Fujiwara com a seguinte dica: “Quando você entrar na cozinha, deixe todos os seus problemas do outro lado da porta, porque cozinhar é um momento de dedicação e amor a sua família e amigos”.
Parabéns, meninas!!! :D 

Vim também agradecer à Rubbermaid que convidou A Cozinha Coletiva para fazer parte do concurso [adorei conhecer os produtos e os outros blogs participantes] e, claro, a todos os leitores que participaram desta ação tão bacana – dei uma fuçada nos comentários lá no blog da Rubbermaid e vi recadinhos super fofos e dicas realmente práticas! 
Foi muito legal poder contar com o apoio de vocês, então muito obrigado! :D

E se você perdeu alguma das receitas que preparei para o concurso, os links são:
Pavê de Amoras e Laranja e Tortinhas de Frango ao Vinho


PS: Elaine, quando a Teresa me contou que você tinha ganho pelo voto n'A Cozinha Coletiva, fiquei mto mto feliz por vc! Obrigado e bjão!


PS: Elaine, adorei saber, pela Teresa

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Conservando morangos



Olás! 
Ando sumido, né? Faz parte, gente, to voltando!rs
Falando em sumidos, os morangos estão saindo de época, o que significa que a partir de agora vão ficando cada vez mais raros e mais caros. Por isso, quando estava voltando de circular para casa e vi da janela do ônibus um senhor com uma carriola de morangos, não hesitei em descer no ponto seguinte e correr atrás dele.
Os frutinhos já não estavam mais tão bonitos, mas dei uma boa escolhida e no fim de semana transformei as caixinhas em vidros de conservas - dois tipos diferentes - que são as receitas de hoje. 
Na primeira, mais refrescante, os morangos frescos são mergulhados em xarope de baunilha bem docinho e congelados. Na segunda, mais quente, são  rapidamente cozidos com caramelo, vinho e temperos e mantidos em vidros vedados. 
Então aproveite, escolha o modo de sua preferência e conserve os últimos morangos da temporada! E se estiver na dúvida, tente as duas receitas! ;)



Morangos Frescos em Xarope de Baunilha
[receita adaptada daqui]

Ingredientes:
1 e 1/2 caixinhas [aproximadamente 450g] de morangos frescos;
1 xícara de açúcar;
1 e 1/2 xícaras de água;
1 fava de baunilha.

Modo de preparo:
Lavem bem os morangos, retire os talos e folhas e encha 2 vidros ou potes médios com as frutas, sem apertar. Reserve.
Em uma panela pequena ferva o açúcar com a água mais a fava de baunilha aberta. Quando ferver, abaixe o fogo e cozinhe sem mexer por cerca de 4 minutos. Deixe esfriar e retire a fava.
Complete os vidros preparados com o xarope frio, até dois centímetros abaixo da boca. Tampe os vidros e congele.
No momento de usar, deixe descongelar em temperatura ambiente. Vai bem com sorvetes, bolos e batidas.



Morangos Caramelizados
[receita retirada daqui]

Ingredientes:
1/2 xícara de açúcar;
1 colher de sopa de glucose de milho branca;
1/4 de xícara de água;
1/2 xícara de vinho tinto [usei Pinot Noir];
3 cravos;
2 pimentas do reino inteiras;
Um pedaço pequeno de pau de canela;
1/2 fava de baunilha aberta ao meio;
3 xícaras de morangos limpos e cortados na metade.

Preparo: 
Em uma frigideira grande, misture o açúcar, a glucose e a água e leve ao fogo médio-alto, girando a frigideira, de vez em quando, até formar um xarope homogêneo, cor de caramelo - demora mais ou menos 5 minutos. Retire do fogo, adicione o vinho, os cravos, as pimentas, a canela e fava de baunilha aberta [raspe a fava por dentro para soltar as sementes]. Volte a frigideira ao fogo e cozinhe, mexendo com uma colher para dissolver o caramelo - leva uns 4 minutos. 
Adicione os morangos, abaixe o fogo e cozinhe, mexendo delicadamente, por mais uns 5 minutos.
Deixe esfriar e passe para os vidros preparados*.

* esterilizei meus vidros, vazios e depois de cheios, segundo as indicações do Vitor Hugo, do Prato Fundo.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Tortinhas de Frango ao vinho e R$1.500,00 em compras!


Aqui estamos na segunda semana do Concurso Cultural "Rubbermaid organiza sua cozinha, sua casa e sua vida". Semana passada preparei um pavê, e para essa segunda receita resolvi radicalizar com uma versão salgada do que mais gosto de fazer na cozinha: tortas.
Lembrando que nessa semana começa uma nova votação, e quem votou semana passada pode votar novamente e aumentar as chances de ganhar o vale-compras de R$1.500,00 nas lojas Etna, Americanas ou Submarino. Para participar é muito sumples:


1. Faça seu cadastro clicando em www.rubbermaidbrasil.com.br/concurso/cadastro;
2. Entre no blog da Rubbermaid clicando em http://www.rubbermaidbrasil.com.br/blog/2011/11/14/concurso-cultural-rubbermaid-votacao2-fase-3/  e vote na receita d'a Cozinha Coletiva, respondendo à pergunta:  Qual foi a melhor dica de cozinha que alguém já te deu? Por quê? e dizendo "voto nas tortinhas d'A Cozinha Coletiva"! [só vale um voto por semana, ok?].


Agora vamos às tortinhas!
Os ingleses são famosos por cobrir cozidos de carne com massa e levar ao forno - quem nunca ouviu falar na estranha torta de carne e rins inglesa? - eles tem até uma canção de ninar que fala de um rei que ganha uma torta recheada de passarinhos vivos! No Brasil elas são chamadas de empadão ou pastelão e ganham ingredientes regionais no recheio: milho, palmito, pequi.
Mas a minha receita não tem rins nem pequi. Ela é bem prática [pode-se aproveitar as sobras de frango assado, inclusive] e leva, basicamente, carne de frango e legumes. O diferencial é que o frango é refogado no vinho tinto [como meu pai gosta de fazer], o que dá um sabor especial para o recheio. Ah, e dá pra preparar o recheio com antecedência e na hora de servir só montar as tortinhas e assar. Super charmoso!




Tortinhas de Frango ao vinho
[rende 8 tortinhas de 8cm de diâmetro ou 6 Pot Pies [servidas em ramequins de 10cm de diâmetro e que só levam massa por cima - reduza a receita da massa para a metade, se preferir assim]

Ingredientes da massa:
2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo;
1 colher de chá de sal;
1/2 colher de sopa de açúcar;
200g de manteiga gelada picada em cubinhos;
6 colheres de água gelada.

Ingredientes do recheio:
Azeite, sal e pimenta do reino à gosto;
1/2 cebola picada;
2 dentes de alho picados;
1 peito de frango pequeno, sem pele e sem ossos, picado em cubinhos e cozido na água com sal e pimenta [ou 2 xícaras de sobras de frango assado - pode ser desfiado, mas cubinhos são mais bonitos];
1 xícara de vinho tinto seco;
2 cenouras sem casca picadas em pequenos pedaços;
1 xícara de ervilhas congeladas [mas você pode simplificar e substituir e cenoura e a ervilha por uma lata de seleta de legumes, dependendo da pressa e da ocasião];
1/2 xícara de azeitonas pretas picadas;
1/2 xícara de champignon em conserva, ou congelados;
2 colheres de sopa de manteiga;
2 colheres de sopa de farinha de trigo;
2 xícaras de leite;
Noz moscada à gosto.
Uma gema para pincelar.

Preparo da massa:
Em uma tigela grande misture a farinha, o açúcar e o sal. Adicione a manteiga em cubinhos e amasse com as pontas dos dedos até formar uma farofa. Adicione a água, aos poucos, amassando rapidamente, até formar uma bola. Achate essa bola de massa, envolva em plástico filme e leve à geladeira por 20 minutos.

Enquanto isso o recheio:
Em uma panela pequena, com água, cozinhe as cenouras por uns 7 minutos, até ficarem macias. Escorra e reserve.
Em uma frigideira, com um fio de azeite e em fogo alto, refogue a cebola e o alho. Adicione o frango e o vinho, abaixe e fogo e cozinhe até o vinho evaporar completamente. Apague o fogo e reserve.
Em uma panela maior, derreta a manteiga em fogo baixo. Adicione a farinha de trigo e mexa rapidamente para a farinha cozinhar em fogo baixo [fica com cara de empelotado, mas é normal]. Remova do fogo, junte o leite e mexa vigorosamente para desfazer os grumos de farinha. Volte a mistura ao fogo baixo, tempere com sal e noz moscada ralada, e cozinhe por 10 minutos, mexendo, até o molho engrossar. Apague o fogo e acrescente o frango, as cenouras cozidas, as ervilhas, azeitonas e champignons. Misture delicadamente, e corrija o sal e a pimenta do reino. Reserve.

Dica: reservei o recheio em um dos potes da linha Premier da Rubbermaid, que diferente dos potes plásticos comuns, resite a manchas e odores, super prático!

Montagem:
Preaqueça o forno a 200 graus.
Você pode optar por servir a torta em forminhas tipo ramequins, e somente cobrir o recheio com uma camada de massa: para isso, divida o recheio em 6 ramequins de 10cm de diâmetro. Abra a massa sobre uma superfície enfarinhada com o rolo, até conseguir 5mm de espessura, e corte 6 quadrados. Pincele as bordas dos ramequins com água e vede-os com os quadrados de massa.
Você também pode optar por forrar 8 forminhas de 8cm de diâmetro com massa, rechear e cobrir, fechando bem nas laterais, como se fosse uma empada.
Pincele as tortinhas com a gema e leve ao forno, por cerca de 25 minutos, até dourarem.
Sirva imediatamente.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Geléia de Goiaba e lembranças



Olás olás!
A primeira geléia que comi na vida foi, com certeza, de goiaba. Isso porque entre as minhas lembranças da infância existe uma em que estamos na copa da casa em que morávamos, na divisa com Minas Gerais, que tinha um lustre verde e janela pra um gramado, e eu estou passando geléia num pedaço de bolo. E é geléia de goiaba, que minha mãe e mais duas vizinhas faziam, num tacho mexido por colheres de pau que pareciam pequenos remos de barco, sobre um fogão de lenha que ficava no meio do quintal. Elas buscavam goiabas nos sítios da região [deviam ter seus contatos], descascavam aquele monte de fruta e dividiam:  a parte carnuda virava doce de goiaba em calda, que é fácil de fazer e não espirra. Já a parte com sementes virava geléia, e se aproveitava tudo. Com outro tanto de frutas elas faziam goiabada cascão, que dá trabalho pra saber o ponto e espirra pra chuchu, e deixavam esfriando e tomando forma em um tabuleiro de madeira forrado com plástico. Depois a goiabada era cortada em quadrados e dividida entre as três famílias. Minha mãe levava a parte dela, quando a gente viajava pra cidade dos meus avós, e distribuía. De goiabada eu não gostava muito, só com queijo fresco junto, mas geléia de goiaba com bolo era quase sempre meu café da manhã e eu adorava a combinação.

Talvez por esse monte de lembranças na cabeça que, quando no mercadinho perto de casa, senti o cheiro de goiaba madura, comprei logo 2 quilos e fui fazer geléia. A minha ficou meio pálida - liguei pra minha mãe para perguntar por que a dela ficava escura e ela disse que era limão. Eu usei limão na minha mas não resolveu muito. Já o sabor, ah, o sabor ficou igualzinho!  
Minha mãe fazia bala de coco também, mas essa história fica para a próxima...



Geléia de Goiaba

Ingredientes:
2kg de goiabas maduras sem casca e sem bichos;
Suco de 2 limões;
1/2kg de açúcar cristal.

Preparo: 
Você pode bater as goiabas no liquidificador e depois peneirar para separar as sementes, mas se tiver uma peneira de metal, pode simplesmente pressionar as frutas na peneira até que amassem - eu fiz assim.
Essa massa peneirada vai para a panela com o suco dos limões e o açúcar, em fogo baixo e mexendo sempre, pois a geléia pode grudar no fundo, por cerca de 45 minutos. O teste do ponto é o mesmo das outras geléias: pingue um tantinho em um pires, que pode estar gelado, e tombe-o: se a geléia não escorrer, está pronta.
Distribua o doce em três vidros médios esterilizados e conserve na geladeira.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Pavê de Laranja Amoras e R$1.500,00 em compras!


Olás!
Chegou a hora d'A Cozinha Coletiva participar do "Concurso Cultural Rubbermaid organiza sua cozinha, sua casa e sua vida", com duas receitinhas! Com isso, eu e você vamos concorrer a um vale compras de R$1.500,00!!! Presentão de fim de ano, hein?

Para participar é super fácil:
1. Faça seu cadastro clicando em www.rubbermaidbrasil.com.br/concurso/cadastro;
2. Entre no blog da Rubbermaid clicando em http://www.rubbermaidbrasil.com.br/blog/2011/11/07/concurso-cultural-rubbermaid-organiza-sua-cozinha-sua-casa-e-sua-vida-votacao-1-%E2%80%93-fase-3/  e vote na receita d'a Cozinha Coletiva, respondendo à pergunta:  Qual foi a melhor dica de cozinha que alguém já te deu? Por quê? e dizendo "voto no pavê d'A Cozinha Coletiva"! [só vale um voto por semana, ok?].

O blog mais votado e a resposta mais bacana vão ganhar cada um R$1.500,00 para gastar na Etna.com.br, Americanas.com ou Submarino
Então, vamos lá votar e conferir a receita?

A receita que escolhi para essa semana, o Pavê de Laranja e Amoras, é do programa da Nigella, que eu adoro! O mais legal dela é que, além de não usar o fogão, pude deixar tudo pronto, dentro dos potes que a Rubbermaid me mandou, e  montar o pavê, em 10 minutos, somente na hora de servir. 
Sobremesa especial para visitas inesperadas e afins - se você acha que pavê dá trabalho, vai mudar de idéia agora!
A receita completa você confere abaixo:


Pavê de Laranja e Amoras
[receita do programa Nigella Kitchen]

Ingredientes:
2 bolos de laranja e formato de bolo inglês pequeno, comprados pronto aproximadamente
350g];
80ml de Cointreau [opcional, se você prefere sem álcool];
2 colheres de sopa de geléia de laranja [opcional, para acentuar o sabor];
Suco de 1 laranja [se não utilizar o Cointreau e a geléia, use 2 laranjas aqui];
Raspas da casca de 1 laranja;
250ml de creme de leite fresco gelado;
300g de amoras, ou mirtilos.

Preparo:
Eu fatiei os bolos, em fatias de menos de 1cm de espessura, e reservei. Misturei o suco de laranja, o Cointreau e a geléia e reservei na geladeira.
Bati o creme de leite gelado na batedeira, em picos moles, e reservei na geladeira. Na hora de servir, distribuí as fatias de bolo em um prato bonito [é mais prático e fica mais elegante], derramei uniformemente a mistura de suco e polvilhei 1/2 das raspas de laranja. Por cima, distribuí o creme de leite batido e enfeitei com as amoras e o restante das raspas de laranja.

Dica: até o momento do uso, guarde-as num pote Conserva Mais da Rubbermaid. Ele contém tampa com pequenos orifícios que permitem a circulação do ar e bandeja que isola a umidade natural das frutas, conservando-as por muito mais tempo.