terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Natal na Cozinha 01 - English Christmas Pudding

Eu venho de uma família que nunca comemorou Natal. Ainda na adolescência eu insistia em umas tentativas de comemoração em família, maas sempre foram frustrantes.
A mais 'gastronômica' delas, pelo que me lembro, foi quando resolvi fazer o tradicional English Christmas Pudding*, uma espécie de bolo cozido por muitas [muitas meesmo] horas em banho-maria, lotado de frutas secas, castanhas, maçãs, pão amanhecido, especiarias, brandy e gordura de rim** [o que causou uma certa estranheza geral... ainda causa..glup!].


People, é delicioso fazer esse pudim! O processo, sabe? Primeiro que começa muito antes do Natal. A tradição pede que se começe no segundo domingo do advento, que é contado pelas missas.. eu sei que dá, no mínimo, um mês antes do Natal. Em uma bacia grande você vai misturando passas, cidra, ameixas, cerejas, nozes, amêndoas, castanhas, suco de limão, maçãs, ovos e o pão esmigalhado. Então você cobre essa bacia e deixa descansar até o outro dia, macerando. No outro dia junta o resto dos ingredientes, os temperos, a bebida e a gordura. A tradição manda cada membro da família dar uma mexida na massa enquanto pensa em um pedido. Prepare os refratários de louça, de fundo arredondado: unte-os com manteiga, reveste com papel-manteiga e unta outra vez. Derrame a massa***, cubra com uma folha de papel manteiga-untada, e mais uma de papel-alumínio, e amarra com barbante bem apertado. E banho-maria neles! Por simplesmente NOVE HORAS!!! Fique de olho na água, pois ela secará, váarias vezes. Então retire os pudins, deixe esfriar e troque o papel-manteiga e o papel-alumínio por novos, e esqueça-os na parte baixa da geladeira até a noite de Natal.
Na noite de Natal, você precisará aquecer os pudins, em banho-maria, por mais três horinhas [pra quem já esperou um mês, o que são três horas, né?]. Então é desenformar, furar toda a superfície escura deles, regar com rum quente e levar pra mesa flambando! Sirva com creme inglês ou chantilly.

O processo todo dá um prazer gigantesco.. você se sente num ritual. Quanto ao gosto... bom, o Natal inglês é frio né? O nosso é quente... O Christmas Pudding é intenso, muito forte mesmo. Quem não gosta de panetone não pode chegar nem perto. Em casa só eu e minha mãe gostamos realmente... na verdade só nos entendemos o tal pudim, eu acho...rs. Mas vale a pena pelo ritual, pela tradição linda que ele carrega.

Minha amiga Marina, que vive em Oxford, diz que hoje as pessoas compram o pudim pronto, lá. Ela odiou o gosto dele.rsrs
Aqui vai o link de um site com uma receita simplificada. Em casa fizemos por um livrão antigo de receitas da minha mãe, chamado 'A Boa Mesa - recitas selecionadas para todas as ocasiões', que foi famoso lá pelo fim dos anos 80.



*O Christmas Pudding surge na Inglaterra do séc. XV como um pudim salgado, para preservar a carne ensacada com frutas secas e especiarias, chamado de mince pie (torta de carne moída ou torta de picadinho). Na época de Elizabeth 1ª passaram a adicionar ameixas secas, tranformando-os em plum pottage (sopa de ameixa). Finalmente, no século XVIII, a quantidade de carne foi diminuindo e a de frutas secas e especiarias doces aumentava até chegar ao plum pudding.

**Não se assuste: pode ser trocada por banha [o que também pode ser estranho ao nosso paladar séc. XXI]. As receitas mais simplificadas chegam a trocar mesmo por gordura vegetal ou manteiga. Mas não se preocupe, a banha não dá gosto de porco..rs. 

***Nessa hora você pode seguir a tradição e colocar algumas prendas dentro do pudim, como no Bolo de Rei, de Portugal:
Um anel - quem receber a fatia com o anel é destinado a ficar solteiro (a) o ano todo;
Moeda de prata - saúde o ano todo;
Fava de baunilha- sorte;
etc.


quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Pré-posts


Olás!
Os blogs de culinárias sempre lotaram minha lista de 'Favoritos' do Internet Explorer. Sempre que precisei tirar alguma dúvida, roubar alguma idéia ou pedir alguma sugestão lá estava eu em algum deles [você pode ver os principais na lista de favoritos ali ao lado]. E é claro, a vontade de criar o meu sempre existiu.
Maas, eu pensava: 'quando eu estiver formado, com meu AP e meu trabalho, estabilizado e talz, e a culinária for o meu hobby, eu faço um blog desses'. Bom.. como isso está demorando um bocadinho pra acontecer, resolvi variar o tema: esse blog vai tratar de como um estudante de arquitetura de 24 anos, filho de confeiteiros e apaixonado por cozinha, que faz doces pra vender e cozinha por prazer consegue fazer isso em uma cozinha de república! Calma, a república aqui é formada pela Giseli, doutoranda amigooona minha, pelo Rafael, mestrando, e por mim, então NÃO é aquela bagunça que você já imaginou quando leu a palavra república de estudantes. Mas mesmo assim, a cozinha não é só minha, então...

Então é isso. E lembre-se, sou estudante, minha máquina fotográfica é beem básica, isso quando não é foto de celular, e não tenho espaço nem boas louças pra cenários de fotos, mas as receitas são boas - eu, mamãe e meus fregueses GARANTIMOS!rs

Benvindos! : )

PS: Depois do Natal começam os posts de verdade ; )