domingo, 29 de agosto de 2010

Torta de Limão à francesa


Olás!

Todo o mundo, literalmente, sabe o quanto é bom um pedaço de torta de limão. O equilíbrio entre o azedo refrescante e o doce confortante está presente nas diferentes cozinhas do mundo, cada qual do seu jeito. Na Flórida eles têm a Key Lime Pie, que é muito parecida com a nossa torta  feita com leite condensado e suco de limão, com merengue ou chantilly por cima, vai do gosto do freguês. Na Inglaterra a Lemon Tart é feita de uma massa que derrete na boca, recheada de curd de limão com açúcar polvilhado. A Lemon Chiffon Pie, ou a Torta Mousse de Limão, são as versões mais leves e aeradas de torta cítrica.
Porém, seguramente a mais clássica das tortas azedinhas é a Tarte Meringuée au Citron, a torta francesa de limão amarelo. Nela, o amarelo e azedinho creme de limão que recheia a massa crocante encontra seu equilíbrio na brancura doce do merengue da cobertura. Além de deliciosa [o sabor do creme de limão é bem diferente do de leite condensado, que estamos acostumados] ela é surpreendente linda, e seu preparo é muito simples. É a sobremesa perfeita para uma bela refeição!
E você, qual sua receita de torta de limão preferida?


Torta Merengue de Limão 
[retirada desse site lindo!]
Ingredientes da Massa Brisée:

250 g. de farinha de trigo;
125 g. de manteiga picada;
125 g. de açúcar;
1 ovo.

Preparo da Massa Brisée:
Misture a farinha peneirada com o açúcar, e forme uma depressão no centro da tigela. Adicione o ovo e a manteiga amolecida no centro. Amasse com as mãos o suficiente para dar liga [não amasse demais].
Forme uma bola achatada com a massa,  embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por meia hora.
Abre a massa sobre o fundo e as laterais de uma fôrma de tortas de 22cm de diâmetro e 3 de altura, furando-a com um garfo. Leve à geladeira por 15 minutos.
Asse em forno preaquecido a 180 graus por 25 minutos até dourar.
Reserve.

Ingredientes do Recheio:
1/2 xícara de suco de limão siciliano;
Raspas de 2 limões sicilianos;
100g de açúcar;
4 gemas;
3 colheres de sopa de maizena;
1 colher de sopa [15g] de manteiga.

Preparo do Recheio:
Coloque o suco de limão em um copo de medida e complete com água até chegar em 300ml. Despeje em uma panela, adicione as raspas e o açúcar e leve ao fogo até o açúcar dissolver completamente.
Dissolva a maizena em um pouquinho de água e adicione à mistura ainda no fogo, cozinhando até ferver e engrossar.
Retire do fogo, deixe esfriar levemente e adicione as gemas peneiradas, batendo vigorosamente [cuidado para elas não cozinharem e formarem grânulos]. Por último, adicione a manteiga e mexa até derreter. Recheie a massa já assada com esse creme.

Ingredientes da Cobertura:
4 claras;
200g de açúcar.

Preparo da Cobertura:
Bata as claras em neve, adicionando o açúcar às colheradas até formar um creme branco, firme, brilhante e liso.
Cubra a torta já recheada com esse merengue, e leve ao forno quente por alguns minutos até o merengue dourar.
Sirva gelada!




sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Geléia de Amoras Caseira



Olá pessoal!

São Carlos virou deserto: calor dos diabos de dia e friaca noturna. Claro, não chove faz séculos e a umidade relativa do ar anda em 16 por aqui. Péssimo, né? Mas o lado bom dessa época são as amoreiras carregadas de frutinhos roxos e vermelhos, só esperando para serem colhidos. E foi o que fiz quarta-feira de manhazinha, antes do trabalho: colhi simplsmente 1 quilo de amoras só aqui na vizinhança! Deu uma sacolona cheia, e eu fui feliz da vida com ela pra casa. A melhor parte é que mesmo colhendo tudo isso, as árvores continuam carregadas!
Bom, com a sacolada de amoras minha primeira idéia foi fazer uma coisa que eu adoro: geléia caseira! De amoras eu nunca tinha feito, mas ficou deliciosa, e com um aspecto perfeito, adorei e recomendo! A parte chata é que o fogão e arredores ficaram cheio de pintinhas roxas - é, o negócio espirra, mas o resultado compensa! E já aproveitei o embalo pra fazer um mini-rocambole bem basiquinho pra testar a geléia! Se alguém quiser a receita da massa me passa um mail que eu mando, é bem simples.
É isso!


Geléia de Amoras

Ingredientes:
1kg de amoras;
700g de açúcar;
Suco de meio limão;
1 piada de canela em pó;
2 colheres de sopa de vodca.

Preparo:
Coloque um pires no congelador.
Lave bem as amoras, escorra e divida em duas partes. Coloque uma das partes na panela, e vá batendo a segunda parte aos poucos, no liquidificador, e despejando na panela [tem gente que ao invés de bater as frutas espreme na peneira, ou bate e depois coa. Como eu gosto da geléia com as sementinhas, não penerei. Ah, e voce pode bater toda a amora, se quiser.. bati metade porque queria uma geléia com pedaços da fruta].
Junte o suco de limão à panela, a canela e o açúcar, e mexa bem, ainda fora do fogo. Leve ao fogo alto, mexendo até ferver. Quando ferver reduza o fogo para médio [ou baixo, por precaução] e vá mexendo de vez em quando. Quando começar a formar espuma na superfície, retire-a toda com uma escumadeira, adicione a vodca e continue mexendo e retirando a espuma. Você vai notar que depois de um tempo a geléia pára de formar espuma. Quando isso acontecer, vá mexendo até chegar ao ponto.. a minha demorou uns 17 minutos.
Pra saber o ponto é fácil: retire o pires do congelador e pingue um pouco da geléia nele: ao passar o dedo sobre ela, deverá formar um "caminho" que não se desfaz.
Acomode ainda quente em 2 vidros grandes, esterilizados, tampe-os e deixe  esfriar.
É mais fácil do que parece!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Cupcakes com Nutella


Olá pessoas!
Para quem não sabe, meu notebook pifou, então estou entrando pouco na internet [só aqui na USP] e, consequentemente, postando menos vezes, but I`ll survive.. hey hey.
Eu não sou religioso, mas lembro que quando era pequeno eu gostava de ler a Bíblia mas achava muito chato o início do Novo Testamento, com a árvore geneológica de José. Era um tal de "fulano filho de beltrano, filho de sicrano" que não acabava mais. E a receita de hoje é meio assim: achei ela lá no Cinara's Place, que achou no Bakingsheet, que pegou da Donna Hay, e que um monte de blog já fez e aprovou. E eu fiquei com vontade de provar e tive que fazer também!
Então ontem eu fiz e cara, o negócio é mesmo bom! Vou resumir: a massa é macia pra caramba, e o meio do bolinho fica com Nutella molinha, lambuzando a boca quando morde. E em cima, a Nutella forma uma casquinha crocante que quebra e revela o interior cremoso e denso. Para mim, o melhor jeito de comer esses bolinhos é retirá-los da forminha de papel e começar pelo fundo, guardando a parte mais gostosa [a casquinha, claro] para o final. É impossível comer um só, realmente.


Algumas observações pessoais quanto à receita:
Achei que a receita pedia muito açúcar na massa, mas não alterei, e depois de pronto não achei excessivamente doce, porém quem preferir pode usar só 1/2 xícara, ao invés de 3/4.
A receita pede cerca de 1/3 de xícara de Nutella, duas colheres de chá para cada bolinho. Pois bem, usei um pote [do pequeno] de Nutella inteiro [180g], o que imagino ser mais que 1/3 de xícara.
Outra coisa: depois de distribuir a massa nas forminhas, fiz uma pequena depressão no centro de cada bolinho, antes de colocar a Nutella. Isso foi fundamental para que, além de cobertura, ela funcionasse como recheio também.
Ah, e vai que alguém não sabe: Nutella é uma marca de creme de chocolate e avelãs. Existem outras, e pelo menos a genérica da rede Pão-de-Açúcar/ Dia% é igualzinha.
E agora, a receita!


Cupcakes  cobertos com Nutella
[receita retirada e levemente alterada do blog da Cinara, o Cinara's Place. Vale muito a pena visitá-lo!]
Ingredientes:
3/4 de xícara [140g] de manteiga amolecida;

3/4 xícara de açúcar baunilhado [adicione 1/2 colher de chá de extrato de baunilha quando for colocar os ovos, se for usar açúcar comum];
3 ovos;
1 e 3/4 xícaras [200g] de farinha de trigo;
1/4 colher (chá) de sal;
2 colher (chá) de fermento em pó;
Um potinho pequeno de Creme de chocolate e avelãs Nutella [180g].

Preparo:
Bata a manteiga e o açúcar por 2 minutos. Acrescente os ovos, um de cada vez, até incorporar completamente. Acrescente a farinha, o sal e o fermento peneirados e bata até a massa ficar uniforme e a farinha desaparecer por completo. Distribua a massa em 10 forminhas de muffins de 7.5cm de diâmetro, e no meio de cada uma faça uma pequena depressão usando uma colher de chá. Coloque 2 colheradas [colher de chá] generosas [eu disse generooosas] de Nutella sobre cada depressão e misture levemente com a massa, usando um palito [tipo Bolo Mármore].
Leve para assar em forno preaquecido a 180 graus por 20 minutos. Deixe esfriar e se delicie!


sábado, 21 de agosto de 2010

Muffins de Amoras: o clássico e o alternativo


Hoje A Cozinha Coletiva apresenta duas receitas: uma típica e uma "customizada". Pois é, estamos em tempo de amoras aqui no Brasil, e nada melhor que aproveitar para fazer umas receitas legais com elas, né? O bom da amora é que ela substitui muito bem os mirtilos [blueberries] nas receitas importadas, além de dar boas geléias.
Falando em importado, vale lembrar que a nossa amora mais comum, a Morus nigra [que é a que usei, chamada em inglês de Mulberry e típica da Europa e Ásia] se difere em alguns pontos da amora americana, a Rubus ulmifolius [conhecida como amora preta, amora silvestre ou blackberry, em inglês, típica das áreas frias das américas]. A nossa amora dá em árvores sem espinhos [a  outra em arbustos espinhentos], é menorzinha e mais compridinha [a outra é bem gorducha, quase redonda], suas folhas servem de alimentos ao bicho da seda e mancham muito a pele, roupas e tudo mais que tocarem. Apesar disso, o sabor das duas é bastante parecido: doces e azedinhas, e ambas têm valores nutricionais parecidos: são ricas em antioxidantes e têm pouquíssimas calorias.
O sabor das amoras combina perfeitamente com um toque de limão ou laranja, por isso nada melhor que: 


Muffins de amora aromatizados com laranja
[rende 10 unidades]

Ingredientes:
2 xícaras de farinha de trigo;
3 colheres de chá de fermento em pó;
1/2 xícara de açúcar refinado;
1/2 colher de chá de sal;
Raspas de uma laranja;
1 xícara de buttermilk [o leite que sai quando batemos manteiga... pode ser trocado por 1/2 xícara de leite mais 1/2 de iogurte];
1/3 da xícara de manteiga derretida;
1 ovo;
1 xícara de amoras frescas passadas na farinha de trigo.

Preparo:
Penere juntos a farinha, o sal, o fermento e o açúcar, adicione as raspas de laranja e misture. Em outra tigela bata levemente o ovo, adicione o buttermilk e a manteiga e misture. Adicione a mistura de líquido à de farinhas, misture levemente, rapidinho mesmo, adicione as amoras passadas na farinha e misture delicadamente.
Distribua a massa em 10 fôrmas de muffins de 7cm de diâmetro untadas e leve ao forno preaquecido a 200 graus por 20 minutos, ou até dourar.



Ok, agora a customização básica: você pode variar a apresentação dos Muffins de Amora, transformando-os em delicadas fatias de rabanadas. Pois é, rabanadas feitas de muffin! É fácil, e fica deliciosamente cremoso por dentro e crocante por fora. O legal é fazer os muffins em um dia e só no outro usar os que sobraram [se é que sobraram] para as rabanadas.


Rabanadas de Muffins

Ingredientes:
3 muffins cortados em fatias grossas no sentido da altura;
1 ovo batido;
1/2 xícara de leite;
Açúcar e canela para polvilhar.

Preparo:
Coloque um pouco de óleo em uma panela pequena [o suficiente para cobrir as fatias de muffins], e leve ao fogo.
Bata o ovo com o leite, e encharque as fatias de muffins nessa mistura. Frite-as 3 a 3. no óleo quente, virando para que dourem por igual. Retire, escorra rapidamente em papel-toalha e passe as fatias fritas pelo açúcar com canela.
Sirva imediatamente, porque quentinhas são delicioosas!


quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O tal do Bolo Húngaro



Folheando uma Cláudia Cozinha antiga, achei uma receita curiosa chamada Bolo Húngaro. Ela é curiosa porque, pra começar, o bolo se parece com um brownie xiita - se o brownie leva pouca farinha na massa, esse não leva nadica - é só manteiga, chocolate, açúcar e ovos. Além disso, a massa é cozida antes de ir ao forno - pois é, ela deve engrossar em fogo moderado por uns 5 minutinhos. Outra coisa: procurei variações da receita na internet e não encontrei nenhum bolo, dito húngaro, que sequer parecesse com esse. Estranho, né? Enfim, mas ele se parece bastante com o bolo cremoso de chocolate do Pierre Hermé que é o pesadelo de vários food-bloggers [se você visita blogs de sobremesa já deve ter cruzado com ele por aí], com o diferencial que não leva chocolate em barra [de qualidade é caro!] e sim chocolate em pó [que pode ser de boa qualidade e não é tão caro!]. Bom, a receita é simples e o resultado é bem gostoso [cremoso e de sabor muito pronunciado - de comer de pedaços pequenos, sabe?] e eu só tenho um ressalva: a revista diz para assar em fôrma de buraco no meio de 18cm de diâmetro untada.... eu usei uma de bolo inglês, untada, e foi bem difícil [quase impossível] desgrudar o bolo dela, por isso acho que seria uma boa enfarinhar a fôrma ou mesmo usar um papel manteiga básico.
Olha, o bolo é delicioso, e fica melhor ainda no dia seguinte! Minha amiga Mariana se deliciou com ele! Segundo ela, é uma das coisas de chocolate mais deliciosas que já comeu!


Bolo Húngaro
Ingredientes:
200g de manteiga [usei manteiga caseira, nada de margarina];
150g de chocolate em pó peneirado [usei 50% cacau];
180g de açúcar refinado;
3 ovos;
2 gemas.

Preparo:
Derreta a manteiga com o chocolate em pó, em banho-maria [fiz em fogo baixo, sem banho-maria]. Retire do fogo e junte o açúcar, os ovos e as outras gemas. Leve em fogo baixo, mexendo sempre, por uns 5 minutos, até engrossar ligeiramente.
Despeje em uma fôrma de buraco no meio de 18cm de diâmetro untada [sugiro enfarinhar também], e asse em forno preaquecido a 180 graus por 50 minutos, até ficar firme, mas ainda cremoso.
 Espere esfriar completamente e desenforme.

Atualização_01: assim que postei a receita, que para mim era desconhecida, a Sandroca, do Eu tb sei disso... e outras amigas blogueiras me falaram de uma sobremesa estranhamente parecida, chamada Torta Búlgara, bastante conhecida! [eu não conhecia, mas joga no google que aparecem várias imagens, ou veja lá no blog da Sandra!]
A receita é parecida mesmo, apesar da torta ficar com cara de pudim, e do bolo ficar com cara de brownie. Então vou tentar fazer a Torta Búlgara e depois conto das diferenças [se é que elas existem]!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O velho pêssego com creme de leite...


Olás pessoas!
Estou muito feliz com a cara que o blog está tomando! Infelizmente, meu notebook resolveu pifar, na semana passada, então sim, estou sem computador [espero que provisoriamente, apesar de o técnico ter dito que não tem o que fazer]. Enfim, por isso as atualizações podem atrasar um bocadinho agora, já que tenho que fazê-las daqui da USP, e não de casa. Mas é provisório, logo resolvo isso.

Nesse final de semana tivemos Bruschettas, muitas Bruschettas, para comemorar o aniversário da Gi. No domingo depois da comilança, resolvi fazer uma torta bem leve e básica, só para adoçar a boca [e acredite, precisei adoçar a vida depois de assistir Na Natureza Selvagem, um filme lindo e triste]. Sabe aquelas sobremesas práticas de sempre - morango com leite condensado ou pêssegos com creme de leite? Optei pela segunda, dando uma 'empetecada' nela, colocando tudo dentro de uma massinha crocante de torta, e assim saiu a Torta de Pêssegos e Creme de Leite batido, fácil, prática e com a gostosura comprovada por milhões de pessoas que a séculos comem pêssego com creme de leite..rs.

Torta de Pêssegos e Creme de Leite

Massa: usei esta aqui, forrando uma fôrma de tartelette [aquelas baixinhas] e assando por 20 minutos com papel alumínio e mais 15 sem, para pegar uma cor.

Recheio:
1 lata de pêssegos em calda;
200ml de creme de leite fresco e gelado;
4 colheres de açúcar de confeiteiro.

Preparo:
Bata o creme de leite bem gelado, na batedeira, e quando começar a engrossar adicione as colheradas de açúcar uma a uma. Quando chegar ao ponto de chantilly [cuidado, se passar do ponto vira manteiga], adicione aos poucos 1 copo americano da calda do pêssego [você pode bater umas 3 metades de pêssego rapidamente no liquidificador com a calda, e adicionar tudo, para o chantilly ficar com pedacinhos de fruta - eu fiz isso e recomendo!].
Recheie a massa já fria com esse creme e distribua o resto do pêssego fatiado ou em pedacinhos sobre o creme. Regue com um restinho da calda e leve para gelar por uma horinha, antes de comer.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A torta mais bonita que já fiz!


Olá todo mundo!
Pensa em uma torta. Pensou? Então, a primeira torta a sempre me vir ao pensamento é aquela torta clássica, de desenho animado, de massa dourada, recheio roxo e aqueles furinhos na massa da cobertura. E a Blueberry Pie, ou Torta de Mirtilos, é exatamente assim, tirada direto do desenho animado! Uma massa crocante, recheada de frutinhos roxo-azulados e com uma tampa de massa dourada açucarada, fechada nas bordas rusticamente e com rasgos para o vapor escapar. Em um palavra, perfeita! Linda, rústica e simples.
Bom, é preciso dizer aqui que eu nunca gostei do sabor de mirtilos, apesar da beleza das frutinhas azuis embaçadas, tal qual garrafas de vinho antigo. Além disso, os mirtilos são, por aqui, difíceis de se encontrar e caros, então nunca fui de comprá-los. A história é que ontem me achei vindo pra casa com duas caixinhas deles, caras e compradas num momento de consumismo cego [e bobo]. Como já tinha feito muffins de mirtilo e não gostado, resolvi dessa vez experimentar a torta, aquela que aparece no filme Um Beijo Roubado [My Blueberry Nights, super recomendo!].
O preparo é super fácil, e só fiz uma alteraçãozinha: acrescentei morangos bem maduros ao recheio. E olha, ficou muito boa, palavra de quem torce o nariz pra mirtilo! Do blueberry muffin eu não gosto não, mas a torta tá aprovada! : D



Torta de Morangos e Mirtilos

Ingredientes da massa:
2 xícaras de farinha de trigo;
3 colheres de sopa de açúcar;
3/4 de xícara [150g] de manteiga gelada em pedacinhos;
1/2 colher de chá de canela em pó;
4 colheres de sopa de água gelada.

Preparo da massa:
Misture açúcar, farinha e canela, e adicione a manteiga. Amasse com as pontas dos dedos até virar uma farofa. Adicione a água, amasse levemente, divida em duas bolas e leve-as à geladeira por 20 minutos.
Abra uma metade com o rolo de forre o fundo e as laterais de uma fôrma para tortas de 22cm de diâmetro. Fure a massa, cubra com papel alumínio e asse em forno preaquecido a 180 graus por 20 minutos. Retire e reserve.

Ingredientes do recheio e montagem:
550g de mirtilos e morangos [pode ser só morangos, amoras, framboesas, cerejas. Eu fiz com 400g de mirtilos e 150g de morangos];
1/3 de xícara de açúcar;
1 colher de amido de milho;
1 colher de farinha de trigo;
Raspas de um limão.

1 gema e uma colher de sopa de leite;
Açúcar cristal para polvilhar.

Montagem:
Sobre a massa assada distribua as frutas [os morangos eu cortei em quatro]. Misture o açúcar, farinha, amido e raspas de limão e despeje sobre as frutas, mexendo de leve com o garfo.
Abra a outra metade da massa, cubra a torta, feche as laterais apertando bem e faça 4 cortes na massa, para o vapor escapar.
Pincele a massa com a gema misturada ao leite, e polvilhe com açúcar cristal [o açúcar vai derreter e deixar a massa dourada, açucarada e crocante, como um biscoito palmiere]. Leve de volta ao forno 180 graus por de 15 a 20 minutos, ou até dourar a superfície e o recheio ferver.
Sirva morna, e se delicie!



quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Popover de Maçãs


Popovers são bolinhos americanos macios, leves e ocos, de superfície dourada e com cara de souflé que abaixou. Aliás, é isso mesmo que acontece, os Popovers estufam horrores dentro do forno [estufam meesmo, enchem de ar feito balão, daí o nome pop-over - estufam além da fôrma] e vão murchando, quando são retirados. A massa é muito semelhante a de panquecas americanas e a de pudim de Yorkshire [aqueles pudinzinhos ingleses que acompanham carne assada, feitos com a gordura do assado, dos quais os Popovers seriam derivados]. Comumente, os Popovers são assados em fôrminhas individuais, mas nesta receita ele assa na própria frigideira em que as maçãs, o ingrediente surpresa da receita, foram cozidas.

Pessoalmente, eu gostei muito do sabor do Popover. Lembra uma bolachinha oca que minha mãe faz, chamada Samantha. E lembra muito o sabor das panquecas americanas também. A maçã dá um toque de doçura e intensidade, na massa básica. Aprovado!
Ah, e asse o Popover em forno muito quente e com a gradinha na altura do meio, para não correr o risco de inchar e grudar no teto do forno - é, ele incha muuuito mesmo. Ou seria infla?


Popover de Maçã
Receita levemente adaptada desse site super legal.

Ingredientes:
2 maçãs grandes [usei 3 pequenas] descascadas e cortadas em fatias de 0,5cm de espessura;
2 colheres de sopa de manteiga sem sal;
2 colheres de sopa de açúcar;
1/4 de colher de chá de canela em pó.

Para a massa:
3 ovos;
1/2 xícara de leite;
2 colheres de sopa de manteiga derretida;
1 colher de chá de extrato de baunilha;
1/2 xícara de farinha de trigo;
1/4 de colher de chá de sal;
2 colheres de sopa de açúcar.

Açúcar extra para polvilhar.

Preparo:
Em uma frigideira média com anti-aderente e sem cabo de plástico ou madeira [para ir ao forno] derreta a manteiga, adicione as fatias de maçã, o açúcar e a canela e refogue até as fatias ficarem macias e amarelinhas. Reserve.
No liquidificador junte todos os ingrediente da massa e bata por 1 minuto, até ficar liso e homogêneo.
Derrame a massa sobre as maçãs, e leve a frigideira ao forno preaquecido 220 graus, por 20 minutos. Não abra o forno antes disso, para o Popover não abaixar antes de ficar pronto.
Polvilhe com açúcar e sirva imediatamente, de preferência acompanhado de chantilly batido.