segunda-feira, 29 de março de 2010

Postagem Amarela: Papos de Anjo


Olás, pessoínhas!
Estou fazendo essa postagem às pressas devido à idéia da Glorinha, do blog cafecomglorinha.blogspot.com. A idéia se chama 'Colorindo a Vida' é super legal: ela indica uma cor, e os blogs participantes postam algo com aquela cor: tem flores, comidas, imagens, frutas, enfim. Não precisa ser comida, mas como da Cozinha Coletiva só sai comida, resolvi ontem a noite que eu faria algo do caderno velhinho de receitas da minha avó, que copiei na última visita que fiz a ela. E claro, algo amarelo. Foi fácil achar, e mais fácil ainda fazer:


Papos de Anjo [a receita pede 24 gemas, reduzi pra 6, mas passo aqui a receita completa]

Calda: [para 24 gemas. Para 6 reduzi para 1 xícara de açúcar e 1 de água]
Coloque pra ferver 2 litros de água mais 2 quilos de açúcar cristal, mexendo até dissolver. Junte raspas de 1 limão, um pau de canela e um cravo, e deixe ferver sem mexer até formar uma calda rala, mais ou menos 25 minutos.

Papos: Junte 24 gemas em uma tigela, adicione 1 colher de chá de fermento em pó e bata na batedeira por 30 minutos, até ficar fofo e claro.
Distribua o creme em forminhas de empada de 5cm de diâmetro e muito bem untadas com manteiga, até as bordas. Leve ao forno preaquecido a 180 graus até dobrar de volume e corar levemente. É levemente mesmo, ok? 5 minutinhos.
Desenforme os papos, fure-os com um palito de dentes e deite-os na calda morna, afundando-os para ficarem bem encharcados. Coloque em uma compoteira e conserve na geladeira.

Espero que gostem do doce! Reduzindo a receita pra 6 gemas consegui 10 papos de anjo deliciosos e muito práticos. Afinal, 24 gemas fica meio demais, né? Deixa pro Natal.
Papos de Anjo é uma receita portuguesa, claro. Imagina a criação dela: as freiras portuguesas usavam toneladas de claras para engomar os hábitos, e com as gemas que sobravam elas tinham que inventar o que fazer. E graças a isso, seja lenda ou não, temos esse acervo de receitas amarelinhas de ovos, tão rico e tão saboroso!

Ah, gente, muito obrigado pelo carinho e pelos votos de melhora durante o final de semana, viu? Estou bem melhor, sendo cuidado pela mamãe e vovó [ah, que cute!rsrs]. Mamãe saiu lá da cidade dela pra me socorrer em São Carlos, tadinha..rs. O médico disse que era começo de pneumonia, acredita? Que medo! Mas já tá tudo sob controle! Obrigado meesmo : D

Feliz Dia Amarelo pra todo mundo! ; )


PS: as fotos de cima foram tiradas assim que o doce ficou pronto, então os papos não estão bem encharcados e inchados de calda ainda. Essa última foto mostra um papo de anjo depois de 1 hora na calda, já todo gorduchinho.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Era uma vez uma gripe e um desejo de comer tortas...



22h17 e eu chegando da Unimed 24 horas : /  Pois é, eu sempre tive asma, então nunca tive uma gripe normal, porque todas acabam virando crise asmática. E crise asmática é f***, viu? Mistura de não conseguir respirar com a irritação causada de não conseguir respirar e com a dor no peito de fazer esforço pra respirar. Enfim, agora melhorei, amanhã volto no hospital e boa. Uma vez por ano é assim.

Mudando de pato pra ganso, a receita de hoje tem tudo pra ser deliciosa. Eu não sei se realmente é porque deixei à noite na geladeira e no outro dia acorder sem sentir gosto de nada, mas quem comeu diz que é bom mesmo! A receita é tão adaptada que chega a ser quase inventada! E é essa...


Torta de Peras

Massa: Bata no liquidificador 200 gramas de bolacha maizena até virar pó. Acrescente 1/2 colher de chá de canela e 5 colheres de sopa de manteiga gelada. Cubra o fundo e mais 3cm nas lateriais de uma fôrma para tordas de 23cm de diâmetro e fundo removível. Leve ao forno preaquecido a 180 graus por 10 minutos. Reserve.

Creme:
3/4 de xícara de açúcar;
1/4 de xícara de água;
3 peras sem casca picadas;
3 ovos;
1 xícara de creme de leite;
1 colher de chá de casca de limão ralada;
2 colheres de sopa de suco de limão;
3 colheres de sopa de manteiga derretida;
1/4 da xícara de conhaque.

Leve a água e o açúcar ao fogo médio até dissolver. Acrescente as peras picadas e cozinhe por 3 minutos. Abaixe e fogo e deixe mais 15 minutinhos, até as peras ficarem macias. Escorra e amasse as peras até obter um puré. Reserve.
Bata os ovos até ficar espumante. Junte o puré, o creme de leite e os demais ingredientes e bata até ficar homogêneo.

Recheie a massa e leve ao forno 180 graus por mais 30 minutos. Deixe esfriar e leve à geladeira por uma horinha.

Cobertura:
Decore as laterais da torta com nozes picadas grosseiramente. Com uma colher, faça fios com um mel de boa qualidade por cima da torta toda. Salpique canela em pó e noz-moscada.


Apesar de estar com o paladar e olfato comprometidos, pera, nozes, mel e especiarias são, para mim, uma combinação perfeita! Mal posso esperar pra sarar e poder sentir a sutileza dos sabores!
Um beijo [não literalmente, já que eu passaria gripe pra vocês] pra todo mundo que dá uma olhadinha aqui na Cozinha Coletiva! Nesses três meses de blog ganhei muitas amigas novas, e alguns amigos também, e tenho feito tudo com muito carinho pra vocês que passam por aqui! Obrigado por construirem esse blog comigo : )

Ahhh, já que falei de peras, olha as Tartes Tatin individuais que eu fiz esses dias! E de pera! Gostei mais que a de maçã. A receita é a mesma, só muda a fruta.


segunda-feira, 22 de março de 2010

Jantarzinho 'leve': Torta de Queijo e Ovos


Hallo!
Faça a soma: família louca quem não via a mais de um mês + fds + cidade pequena + impaciência + onibus fedido. O que é que dá? Então, por incrível que pareça deu num final de semana delicioso! Pois é, fui pra casa dos meus avós, revi mãe, pai, gata obesa. Assisti 4 filmes maravilhosos [Um Beijo Roubado; Polaroides Urbanas; Noites de Tormenta e o melhor, Sombras de Goya], fiz almôndegas com a minha mãe, pra trazer congeladas, e ainda fuçei nas receitas antigas pra dedéu da minha vó [no próximo posto vou falar mais dessas receitas]. Isso tudo sem internet! Me diverti à beça, viu? E já to com saudade deles...

A idéia desse post era outra [tô misterioso, né?], mas como não deu tempo, vai uma receitinha básica pra um almoço básico ou um jantarzinho 'leve'. No meu caso foi jantarzinho mesmo, sabe quando arroz e feijão enjôa? Foi assim, e fica bem gostosa, sabe? A Gi comeu também e aprovou : D



Torta de Queijo e Ovos
[eu fiz uma receita reduzida, mas vou passar a receita normal, para uma fôrma de 25cm de diâmetro]

Ingredientes da massa:
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo;
1 colher de chá de sal;
2 colheres de sopa de açucar;
1/4 de manteiga  gelada picada em pedacinhos;
3 colheres de sopa de gordura vegetal gelada, picada em pedacinhos;
3 colheres de sopa de água gelada.

Ingredientes do recheio:
4 ovos;
1 e 1/2 xícara de creme de leite;
1/4 de colher de chá de sal;
1 pitada de pimenta do reino;
1 pitada de noz moscada;
100g de parmesão ralado fino;
1 e 1/2 colher de sopa de manteiga gelada picada em pedacinhos.

Preparo da massa:
Em uma tigela peneire farinha, sal e açucar. Junte a manteiga e a gordura e misture com as pontas dos dedos até obter uma farofa. Adicione a água, amasse com as mãos, forme uma bola, embrulhe em filme plástico e deixe na geladeira por 15min.
Abra a massa sobre o fundo de uma fôrma de 25cm de diâmetro [como reduzi a receita, minha fôrma menor não tem fundo removível, então forrei com papel manteiga untado para facilitar a retirada da massa depois de assada]. Forre as lateirais e apare as bordas com uma faca. Fure o fundo da massa com um garfo, cubra com papel alumínio e asse em forno preaquecido a 180 graus por 20 min. Retire o papel alumínio e deixe dourar levemente por mais 10 min. Reserve. Mantenha o forno aceso.

Preparo do recheio:
Bata os ovos até começar a espumar. Adicione o creme de leite, o queijo e os temperos. Bata até misturar.
Derrame a mistura sobre a massa já assada, coloque a manteiga picada por cima e leve ao forno por mais 30 minutos. Sirva quente.


Ahhh, essa da foto é a Lucille, minha gata mau-humorada e obesa.
Como ela é muito metida, nem olhou pra foto ; )

sexta-feira, 19 de março de 2010

Muffins de Pêra e Amêndoas


Muffins são guloseimas sempre bem vindas no café da manhã, no meio da tarde ou antes de dormir, com um copo de leite. Lá na Arquitetura, onde eu estudo, o muffin que mais vendo é o de chocolate com castanhas. Chocolate não tem erro, né? Raramente alguém não gosta. Apesar disso, eu vendo também, junto com o de chocolate, algum muffin de fruta - maçã, banana, pêra - que é para quem prefere sutileza à explosão de doçura. Sutileza no sentido de descobrir os diferentes sabores aos poucos: a fruta adocicada, as especiarias levemente picantes, as amêndoas pronunciadas.
Então, para o final de semana, resolvi deixar aqui a receita de um desses muffins de frutas, o de pêra e amêndoas. Para a versão maçã, é só trocar e reduzir as frutas, a noz moscada por canela e as amêndoas por nozes.
Então, segue a receita, bom final de semana pra todo mundo e obrigado pelas visitas : D


Muffins de Pêra e Amêndoas

Ingredientes da massa:
3 peras descascadas e picadas em quadradinhos;
80g de amêndoas picadas grosseiramente;
250g de farinha de trigo; 
2 colheres de chá de fermento em pó;
1 colher de café de noz moscada;
180g de açúcar refinado;
125g de manteiga derretida;
2 ovos;
100ml leite.

Preparo: 
Preaqueça o forno a 180°. Unte e enfarinhe 12 forminhas para muffins.
Numa tigela peneire a farinha, o açúcar, o fermento e a noz moscada.
Em outra tigelinha, bata os ovos e misture com o leite.
Adicione os pedaços de pera e as amêndoas à mistura de farinha e misture. Junte a mistura de leite e ovos e a manteiga derretida. Mexa de leve até incorporar toda a farinha.
Distribua a massa nas forminhas, ocupando 3/4 delas. Distribua a farofa sobre os bolinhos. Asse por mais ou menos 20 minutos.

Ingredientes da farofa de cobertura:
1/4 xícara de açúcar;
1/4 xícara de farinha de trigo;
1/4 de xícara de amêndoas moídas grosseiramente;
1/2 colher de café de noz moscada;
1/2 colher de café de canela;
30g de manteiga gelada cortada em pedacinhos;

Preparo da cobertura:
Misture todos os ingredientes com as pontas dos dedos até formar uma farofa.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Cozinha Colombiana: Arepas!



O post de hoje é especial: a Karen, nova moradora aqui da república, importada da terra da Shakira, nesse final de semana resolveu cozinhar para nós um prato muito comum e tradicional da Colômbia e Venezuela, as arepas. A Karen disse que a palavra 'arepa' significa 'milho' no idioma indígena da região, e que há uma briga entre os dois países pela disputa da nacionalidade do quitute. Disse também que as arepas venezuelanas são muito boas, mas que na Colômbia a variedade de tipos é muito maior: mini-arepas sem sal, para comer com geléia, arepas recheadas de queijo, arepas amarelas, brancas, com queijo ralado na massa, ou cortadas e recheadas como um pão sírio, arepas assadas, cozidas, fritas, enfim! Todas elas têm o mesmo princípio: farinha de milho pré-cozida [amarela ou branca], água e sal. O mais complicadinho da história é a tal farinha pré-cozida, que é importada e difícil de achar. Andei pesquisando na net e vi receitas em que ela é trocada por farinha de milho em flocos ou por fubá, mas achei também uma marca nacional, a Perdiz, que oferece uma farinha pré-cozida. O mais garantido, porém, é usar aquela Milharina, que é da Quaker e a gente geralmente usa em cuscuz [como a Milharina é amarela, suas arepas ficaram um pouquinho diferente das minhas, em q a farinha é branca].


Arepas Colombianas com Queijo

Como fazer:
Em 1 e 1/4 xícaras de água fria adicione sal a gosto e meio queijo minas tipo frescal ralado no ralo grosso. Adicione 1 xícara de farinha de milho pré-cozida, e misture continuamente, até obter uma massa consistente. Não é preciso amassar.
Deixe repousar por uns 3 minutos. Usando as palmas das mãos em concha, uma contra a outra, faça bolas com a massa e amasse-as até ficar no formato de um hambúrguer bem grosso.
Frite em frigideira anti-aderente com um fio de azeite, no fogo baixo, até dourar dos dois lados.
Sirva quente.
Essa receita rendeu 5 arepas de uns 11cm de diâmetro.

           [farinha de milho branco pré-cozida própria para arepas]

As arepas são deliciosas! Não se parecem com nada da nossa culinária e é impossivel só comer uma. Confesso que no domingo a noite eu já estava quase pedindo pra Karen fazer outra vez : D
Ah, e essa receita é básica, você pode variar: retirar o queijo da massa e colocar uma fatia de recheio quando for moldar as arepas, ou fazer sem queijo mesmo, e depois cortá-las ao meio e rechear com carne desfiada.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Shortbreads de Castanha ao Chocolate



Depois das Tortinhas de Carne, resolvi postar uma receita mais doce e menos amedrontadora [preconceito com as tortinhas, que são, apesar do estigma, deliciosas]. Sábado  a Gi e eu fomos à padaria com vontade de bolachinhas pra tomar com leite. Nenhuma parecia boa, então o jeito foi fazer esses Shortbreads em casa mesmo.
O Shortbread original não leva cobertura, mas resolvi botar esse plus, e ficaram deliciosos! Segue a receita, adaptada daqui:

Ingredientes:
200g de manteiga gelada picada [aquelas com 80% de lipídios, não se esqueça];
300g de farinha de trigo;
3 colheres de sopa de cacau em pó;
175g de açúcar refinado;
100g de castanha de cajú moída;
1 ou 2 colheres de sopa de leite, se precisar.

Preparo:
Peneire a farinha e o cacau juntos, e adicione as castanhas moídas. Adicione a manteiga e amasse com as pontas dos dedos até formar aquela conhecida farofinha.
Junte o açúcar e mexa até ficar uniforme. Adicione o leite se precisar [caso a massa fiquei muito seca, que esfarele ao abrir].
Preaqueça o forno a 180 graus. Unte uma assadeira grande e uma média.
Abra com o rolo, em uma superfície enfarinhada, até atingir a espessura de mais ou menos 1cm [eu fiz um pouquinho mais fino, pra não ficar muito grossa depois de coberta de chocolate]. Corte com seus cortadores de biscoito favoritos, ou boca de copo, se não tiver.
Asse por 20 minutos. Retire do forno, transfira os biscoitos para uma grade. Polvilhe com açúcar e deixe esfriar.
Rendeu 50 biscoitinhos de estrelinhas.

Cobertura: [opcional, mas é uma opção muito boa! :D]
Faça uma ganache de chocolate: aqueça 200ml de creme de leite fresco [pode ser do normal também]. Retire do fogo, junte 200g de chocolate meio amargo picado e mexa até derreter e formar uma mistura brilhante e homogênea. Deixe esfriar, coloque em um saco de confeitar com bico fino e confeite os shortbreads.

Ficam lindos e deliciosos! :D

quinta-feira, 11 de março de 2010

As Piores Tortas de Londres



 É um filme baseado num musical da broadway baseado numa história real, dirigido pelo brilhante e lunático Tim Burton, que eu adoro! Pois bem, o filme conta a história de um casal: o barbeiro vingativo e assassino, e a dona de uma loja de Tortas de Carne quase falida, que costuma variar no tipo de carne do recheio ; )


Nojeiras à parte, as Tortas de Carne [Meat Pies] são um prato típico na Inglaterra e Escócia. Podem ser parecidas com a nossa empada, ou pot pies [potinhos cheios de cozido de carne cobertos com massa de torta]. Podem ser recheadas de cordeiro, de carne de vaca, de frango ao curry, de fígado [eca!], enfim.
Receitas típicas sempre mexem comigo, então fui pra cozinha fazer minha versão das Tortinhas da Sra. Lovett, que é a seguinte:



Tortas de Carne Inglesa

Recheio:
Refogue uma cebola ralada no azeite até começar a dourar. Adicione 500g de patinho picado como para strogonoff  e continue refogando até a carne dourar. Junte um tablete de caldo de carne, sal e pimenta do reino à gosto, uma colher de sopa de extrato de tomate e derrame um bocado de cerveja preta doce. Vá cozinhando em fogo médio, derramando mais cerveja preta quando secar, por uns 20 minutos. Ao todo vai uma latinha de cerveja. Prove pra ver se a carne está macia, acerte os tempeiros, adicione uma lata de seleta de legumes [daquelas com cenoura e ervilhas, sem batata]. Por fim, uma colher rasa de farinha. Deixe mais 5 minutinhos e pronto! Deixe esfriar completamente e reserve.
Você pode preparar essa carne para o almoço e fazer as tortinhas com o que sobrar, também.

Massa:
Junte 2 e 1/2 xícaras de farinha, 1 colher de chá de sal, meia de pimenta do reino, e meia xícara de manteiga gelada, picada em quadradinhos em uma tigela. Misture com as pontas dos dedos até formar uma farofa. Adicione 1/4 de xícara de água gelada, amasse levemente, faça uma bola e geladeira por 15 minutos.

Montagem:
Abra pequenas porções da massa, forre o fundo e as laterais de forminhas untadas e enfarinhadas [usei das de bombocado e das de pão de mel]. Recheie generosamente. Abra novas pequenas porções de massa, cubra as tortinhas e faça um furinho no meio de cada tampinha, para escapar o vapor.
Pincele as tortinhas com uma gema batida, e asse em forno preaquecido a 180 graus por 20 minutos.
Sirva quente, dentro das forminhas mesmo ou desenformadas.
Você pode usar pequenos ramequins, ao invés das forminhas. Eu nao tenho ainda...rs.

Não ficaram iguaizinhas as do filme? Quase né, pois essas são de carne bovina mesmo ;D

terça-feira, 9 de março de 2010

Muffins de chocolate e castanhas, e novidades na república


Olá pessoínhas!
Com o começo das aulas resolvi voltar a produzir muffins pra vender na faculdade. Essa receita é sucesso garantido lá na arquitetura, todo mundo adora! Acabou que não levei pra vender, e ficou pra consumo entre amigos mesmo, mas semana que vem eu levo! : D
E a república aqui anda cheia de novidades: o Rafael, terceiro elemento aqui, mudou-se nesse fim de semana. Para ocupar o quarto vago que ele deixou temos uma nova integrante, a Karen [tenho quase certeza que o nome é esse... heheheh]. Ela faz mestrado em genética e chegou semana passada da terra dela, a Colômbia! Então se daqui pra frente aparecerem receitas típicas colombianas aqui, já sabem que é influência dela!
Um beijo a todo mundo, e obrigado pelas visitas e comentários!


Muffins de Chocolate e Castanhas

Ingredientes:
1 e 1/2 xícaras de farinha;
1 colher de sopa de fermento em pó;
1/2 colher de sopa de bicarbonato de sódio;
1/2 xícara de cacau em pó;
1 pitada de sal;
3/4 de xícara de açucar;
1 ovo;
1/3 da xícara de óleo;
3/4 da xícara de leite;
1 colher de sopa de extrato de baunílha;
3/4 de xícara de chocolate meio amargo picado em quadradinhos;
3/4 da xícara de castanhas picadas [usei misto de castanha do pará e de caju].

Preparo:
Preaqueça o forno a 180 graus.
Em uma tigela penere farinha, fermento, bicarbonato, sal, cacau e açucar. Em outra tigela bata o ovo ligeiramente, acrescente o óleo, a baunilha e o leite.
Adicione o chocolate picado e as castanhas na mistura dos ingredientes secos e misture. Derrame a mistura líquida nos secos, misture levemente e distribua em 12 forminhas para muffins, untadas.
Asse por 20 minutos, até passar no teste do palito.

Esses muffins são deliciosos pois a massa fica com um sabor intenso de cacau, que é complementado com o chocolate derretendo e as castanhas. A receita original eu peguei em algum blog faz muito tempo, e fui mudando aos poucos, até ficar do jeito que eu queria.

domingo, 7 de março de 2010

Red Velvet mini-cakes



Oi amigos!
Com a volta às aulas e meu novo trabalho, to tendo que reduzir minhas postagens a uma por semana, mas loguinho tudo volta ao normal. Aliás, quero agradecer a todo mundo que tem visitado a Cozinha Coletiva, os elogios, as dicas recebidas e aos amigos feitos por aqui. Ter 33 seguidores em dois meses é uma coisa que eu nunca imaginei! Tô muito feliz :D

Bom, o post de hoje não é novidade pra quem vive no mundo dos food-blogs. O Red Velvet Cake é um bolo americano super tradicional criado no sul dos Estados Unidos. A lenda diz que a cor vermelha seria resultado da reação química entre o vinagre, o cacau em pó e o bicarbonato de sódio. Talvez ficasse mesmo avermelhado, mas a modernidade chegou com uma colher e meia de corante pra garantir ; )
Olha o diálogo que esse bolo gerou:
Richie diz: Mãe, adivinha! Vou fazer um bolo vermelho!
Mãe do Richie diz: Como assim vermelho? De morango? De gelatina de morango?
Richie diz: Não, com corante mesmo!!
Mãe do Richie diz: Ué, mas pra que fazer um bolo vermelho de corante?
Richie diz: ah, não sei.. mas fica bonito..
Mãe do Richie diz: hum... só pra ficar vermelho?! Esse bolo é meio artificial, né? Será que dá vontade comer? Se fica vermelho sóporcausa de corante, por que não deixa natural mesmo?


Então fiz os mini-bolos bem desconfiado, só meia receita pra ver como é que era.
E todo o meu preconceito passou ao retirá-los do forno!!! Ficam tão bonitinhos, vermelhinhos da silva... e muito macios também, muito mesmo! E depois, recheados com o creme branco forma um contraste tão lindo!hehehe... me convenço fácil, né?
Mas é sério, fica lindo. Artificialmente lindo! E o gosto é o gosto de um bolinho normal, muito macio. Eu, que sou apaixonado por aqueles bolos de 3 camadas altíssimos, resolvi fazer mini-bolos de três camadas. A fôrma é de 8 cm de diâmetro, e depois de assados cortei cada um na metade.


A receita vem daqui, da Cinara que é mestra com cozinha norte-americana. Eu fiz meia receita, e rendeu 5 forminhas de mini-bolo mais 2 muffinzinhos. Fiz meia receita da cobertura também e foi mais que suficiente pra cobrir e rechear.

PS: quero fazer um agradecimento especial às pessoas que trabalham no banco com o meu irmão, lá em Mineiros do Tietê (!!!!), e que visitam a Cozinha Coletiva e depois comentam com ele. Obrigado!
 : D


segunda-feira, 1 de março de 2010

Trocar o bom pelo duvidoso



Minha avó Gilda é a representante na Terra desse ditado popular. Seu maior prazer é trocar coisas de boa qualidade por porcariadas novas e enfeitadinhas: ela já trocou um sólido sofá retrô por um Casas Bahia da vida; já tentou trocar o despertador dela [aqueles de verdade, com martelinho que bate nos sininhos e tudo] pelo meu, comprado em uma R$ 1,99; já quis trocar [mas eu salvei] uma mesa gigante de madeira toda entalhada, forte e linda, por uma de vidro quase metade do tamanho da outra, enfim.
 Sua mais nova idéia mirabolante foi comprar pudim de caixinha. E no fim do carnaval lá estava ela, olhinhos brilhando, passando a calda pronta [pois é, vem um sachet de 'calda de caramelo' dentro da caixinha] no fundo da fôrma. Bateu o pudim no liquidificador [mesmo trabalho dos feitos em casa, diga-se de passagem] e lá foi ele pro banho-maria. O resultado foi um micro-pudim branquelo, com gosto de água + maizena + essência da brava.
Dona Gilda comeu com gosto, pra não dar o braço a torcer.

Essa história toda me deixou pensando no quão fácil e barato é fazer um pudim de leite. Aliás, sobremesa de muitos nomes [com pequenas variações]: no México é Flan; na Inglaterra e França é Crème Caramel; em Portugal é Pudim de Ovos, e aqui Pudim de Leite mesmo, sobremesa básica - toda dona de casa sabe fazer, com alteraçõezinhas pessoais: algumas acrescentam maizena, outras leite de coco, uns sem furinhos, outros furadinhos. A receita e as dicas que seguem aqui são da minha mãe. O pudim dela sempre foi meu referencial, e fiquei realmente orgulhoso de fazer em casa e ficar igualzinho! Então lá vai:

Pudim de Leite

Ingredientes:
1 xícara de açucar cristal [pode ser o refinado, mas minha mãe prefere o cristal]
1/2 xícara de água;
1 lata de leite condensado;
2 latas de leite de vaca;
5 ovos;
1/2 colher de chá de baunilha;
manteiga para untar.

Preparo:
Leve o açucar ao fogo moderado até derreter e formar uma calda marrom. Acrescente a água, mexa até dissolver e deixe ferver em fogo baixo até ponto de fio [mergulhe a colher e levante, deverá formar um fio de calda, mais ou menos uns 15 minutos]. Derrame essa calda no fundo [nada de laterais, só fundo mesmo] de uma fôrma para pudim de buraco no meio de 24cm de diâmetro, ou 20 forminhas individuais para pudim. Deixe esfriar.
Depois de fria, unte cuidadosamente as laterais da fôrma com manteiga, sem tocar na calda no fundo. [se fizer isso com a fôrma ainda quente, a manteiga vai derreter e descer para a calda, o que prejudicará a apresentação do pudim].
Bata os demais ingredientes no liguidificador. Se você gostar de pudim sem furos, bata os ingredientes menos os ovos, e vá acrescentando ovos e só pulsando, sem bater.
Derrame cuidadosamente a mistura sobre a calda fria, bem de leve, pra não 'furar' a calda.
Prepare o banho-maria: coloque a fôrma dentro de uma fôrma maior, coloque dentro do forno e complete a forma maior com água quente, até 2/3 da altura. Forno 180 graus, preaquecido por 1 hora, mais ou menos.
Retire do forno e vire sobre um prato de servir, sem chacoalhar, senão seu pudim pode rachar. Se tiver dificuldades em virar, passe uma faquinha sem serra levemente na lateral toda, mas geralmente não é necessário.
Sirva gelado.

Fiz em forminhas de 7cm de diâmetro e consegui 20 pudinzinhos lindos!